Páginas

Mostrando postagens classificadas por data para a consulta minimalismo. Classificar por relevância Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por data para a consulta minimalismo. Classificar por relevância Mostrar todas as postagens

23 de abril de 2018

Minimalismo | Uniforme para o dia a dia

Faz um tempão que não posto sobre minimalismo aqui né?!
Mas gosto muito de falar como andam meus desapegos e destralhamentos.

Eu consegui despachar muita mas muita coisa! Este ano consegui despachar as muitas roupas sociais que eu tinha aqui - achando que algum dia ia usar... ledo engano!

Na época da deprê num nível mórbido eu ia para o curso de autoconhecimento e constelação familiar literalmente me arrastando. Junto da deprê havia um sintoma bem chato da fibromialgia: fibro fog - ou seja: neblina mental - meu cérebro demorava cerca de 2hrs pra começar a pensar, eu acordava e mais parecia um zumbi!

Pois então, eu tinha contado AQUI que engordei muito pela má alimentação no período depressivo - então só me sobrou 2 calças!

Juntando com todos os sintomas + só ter uma calça jeans, parece absurdo mas eu acordava num estado tão "zumbi" que eu olhava o guarda-roupas e o cérebro parecia TV fora do ar... fazia: tuuuuuuuuuuuuuuu.
Costumo dizer que logo de manhã não sou gente kkkkkkk.

Foi então que achei essa combinação ótima!




Essa única calça jeans é de strech por isso ela conseguiu se adaptar até quando engordei! Já tenho ela há 15 anos! Eu brinco que essa calça sai andando sozinha rs...


A bota de cano curto é a única desta cor, despachei a outra. Esse moleton comprei na Decatlon junto com uma segunda pele pra esquiador, se e está muito frio, é só por por baixo que já me garante conforto térmico.

O lenço dá um charminho, ajuda a esquentar o pescoço, já que o moleton tem gola V e também serve pra pingar óleo essencial na parte marrom dele - costumo usar óleo essencial de alecrim + hortelã quando estou 'zumbizada' ou outro que esteja me trabalhando.

O óculos escuro foi desapego da minha mãe.

Enfim, usei tantas vezes essa combinação no outono/ inverno que foi aí que me toquei que realmente não precisava de mais roupas, porque essa me atendia muito bem quando vou a cursos, médicos e bater perna... lembrando que eu trabalho em home office.

Essa combinação foi a responsável por despachar mais roupas!
Mas eu não tinha uma combinação assim pra primavera/verão.

Eu precisava de uma calça leve pra bater perna - grazadels encontrei essa de algodão bem casual com bolsos e elástico na cintura.
Essa blusa é totalmente minha cara, me representa rs...



O casaquinho de linha verde pistache- que já tenho há anos foi a melhor escolha, porque em Sampa você tem muitas estações em um único dia - se está muito calor o metrô e CPTM ligam o ar condicionado no modo "congelar".

Nos pés que meu marido esqueceu de pôr na foto, é um sapatênis Kolosh com calcanheiras de gel, assim meus pés não doem batendo perna.

Esse óculos escuro da Chilly Beans já o tenho há 10 anos!

No pescoço, um colarzinho de aromaterapia e nas orelhas, os mesmos brincos de uns 20 anos rs... adoro porque são ganchos tipo mosquetão, assim guardo um preso no outro - nunca se perderam diferente dos de tachinha. Uso também com o uniforme de inverno.


Nos dois uniformes que adotei, uso essa mochila da Unkle K AQUI, sim é caro pra burro mesmo na liquidação quando comprei - mas é mochila pra uma vida toda! Já faz 4 anos que a tenho, ela é tipo... indestrutivel rs... lavo na máquina e tá nova!
Só tive que trocar o velcro desse bolso frontal - mas grazadels tem uma costureira aqui no condôminio que me cobrou R$10 pra por outros velcros...

Aí que está o ponto do minimalismo, essas roupas e mochila foram caras sim... antes eu pensava que quanto mais barato melhor, porque se eu comprasse algo caro, não teria dinheiro pra comprar mais coisas.

Eu não me permitia gastar mais que X em uma peça de roupa, mas sempre saía frustrada e ia comprar outra coisa pra ver se agradava ou até combinasse mais. Daí ficava aquele cenário que todo mundo já passou: "não tenho roupa".

A botinha do uniforme de inverno é ConfortFlex - que no meu caso também é primordial ter conforto nos pés, já tenho faz 2 anos e estão muito boas.

Essa mochila da Unkle K, sai andando sozinha já kkkkk, então é aquilo se algo custou R$250 mas você usou por 4 anos em todas as estações = 48 meses, no fim o preço final foi R$5,20 por mês - muito mais barato do que aquela bolsa do camelô baratinha mas que tem trabalho escravo envolvido e depois de 1 ano está descascando.

Outra coisa que foi primordial  - definir o que é importante: pra mim, uma roupa pra fazer as coisas do dia a dia tem que ser confortável! Foi assim que me baseei ao escolher a calça primavera/verão

Também ajudou a montar o uniforme e o guarda-roupas em si, a escolha da cartela de cores, perceberam que são todas em tom neutro ou pastel?!
Me orientando visualmente com essa cartela, quando vou comprar outra peça (sim, eu ainda compro - mas sai outro post sobre isso) fica mais fácil combinar com que já tenho.

E não, não tenho vergonha de repetir roupa, pelo contrário - fico feliz da vida ao acordar correndo e já ter o look montado - antes demorava 10min pra escolher e as vezes embolava todo o guarda roupa!
Se até Mark Zuckeberg repete a camiseta todo dia... é bem plausível pra gente também né?!

E vocês, tem uma combinação de roupas assim?!





24 de novembro de 2017

Ecobag - Filtros solares para praia

Estou me aprimorando no minimalismo e consumo consciente,  nunca fiz posts de comprinhas do mês justamente pra não atiçar a veia consumista e mesmo assim, ainda nem teria tanto produto num mês, pois muitas vezes nem preciso comprar algo  e também não compro em nome do consumo investigativo, porque por exemplo a base mineral em pó da Alima Pure está usável até hoje! Por isso nem penso em comprar base tão cedo...

Em dia de black friday, também dá pra  consumir consciente e comprar aquilo que realmente precisa!
E o que a gente mais precisa num país tropical e que ainda não existe no Brasil?! Filtro solar orgânico!
Além da gente aqui não querer acabar com os recifes de corais de Fernando de Noronha, nem ter desregulagem no sistema endócrino.
Estes filtros solares orgânicos aqui são indicados para bebês e crianças pequenas, são todo seguros e sem fragância para não agredir o olfato delicado ou ter riscos de alergias. Podem ser usados em adultos também.


1. Creme filtro solar para bebês, SPF 30, camomila e calêndula - Badger U$13,59 [comprar]
Badger balm é meu filtro  solar orgânico preferido há anos e nunca mais troquei rs... a combinação de óleo de girassol + cera de abelha o torna a prova d'agua, funciona na gente vai funcionar pro teu filhote também!

2. Clear Zinc Sunscreen SPF30 - Babo boanicals U$15,96 [comprar]
Fórmula mineral para peles extrasensíveis e hipoalergênico.

3. Protetor Solar FPS 50+ - Think Baby U$11.99 [comprar]
Recomendado por dermatologistas e o melhor avaliados no Skin Deep da EWG desde a sua criação em 2010 !
É o único filtro solar orgânico com FPS50!


 1. Active Kids, Zinc Oxide Sunscreen Cream, SPF 30, Tangerine & Vanilla U$13,99  [comprar]
Fórmula 100% natural, como todos os Badger, este tem adição de óleo essencial de tangerina e baunilha para dar um toque agradável pra crianças, claro que adultos podem usar também!

2. Thinksport, Sunscreen Stick, SPF 30 - Think U$7,99 [comprar]Filtro solar orgânico mineral de rosto e corpo.Projetado para uso diário. Cara e corpo inteiro. Stick de fácil aplicação

3. Sun Shield Clear Stick, SPF 50-MyChelle Dermaceuticals U$12 
[comprar]
Encontrei um filtro solar orgânico com FPS50 em bastão,que viviam me pedindo!Á base de minerais e resistente à água desliza suavemente e fornece uma poderosa proteção de espectro completo UVA e UVB. Óleos de abacate, jojoba e vitamina E ajudam a hidratar e proteger a pele.

+ Leia também: Opções de filtros solares faciais orgânicos

Espero que tenha te ajudado a encontrar um bom filtro solar com certeza de que é orgânico de fato,  livre de químicas! Se você gostou, comente, compartilhe este post!



18 de julho de 2016

Do sumiço e da aceitação das coisas


Estou voltando ao blog e para reinício, uma explicação para o que aconteceu, que pode ser uma luz pra você que está em processos, mesmo porque principalmente pra quem é Índigo as energias de transformação planetárias estão muito intensas...

+leia também: Aromaterapia | Bergamota  para facilitar a aceitação em pessoas Índigo

Quando comecei com este blog há mais de 5 anos, meu intuito era partilhar as informações que eu encontrava, porque naquela época não havia absolutamente nada aqui no Brasil -os sites das marcas não colocavam a composição que era a única certeza de comprar um produto orgânico de fato - comprei muita coisa na fé e muita coisa foi greenwash, propaganda enganosa
Graças à querida Heglaé do Mocinha Kawaii este mundo se abriu pra mim, e sou muito grata à ela, pois a partir dela pude conhecer outro blog que confio o Tantas Plantas da querida Michele, outra a quem devo muita gratidão.
Até que no começo do ano, as caixas com produtos enviados pra resenha aqui no blog pararam de me empolgar.
( um adendo deve ser feito: jamais escrevi pra nenhuma marca pedindo o envio, muito pelo contrário, estas pessoas confiaram no trabalho que venho feito aqui e principalmente no grupo do FB, clica aqui, orientando as pessoas quanto a uso e indicações. Álias até agradeço por isso pois eu não teria condições de comprar tantos produtos, embora muita coisa mostrada aqui comprei mesmo e gostei tanto que escrevi aqui. )

E no começo do ano, tive uma crise renal, uma pedra no rim, causada pelo excesso de medicação pra fibromialgia (sim, infelizmente eu preciso tomar principalmente quando estou em cursos / treinamento ou saio para comprar ingredientes pra fazer meus produtos de limpeza) e pelo excesso de queijo na transição para o vegetariano.
Mas como acredito que toda doença ou disfunção existe um componente emocional ou um emaranhado a ser resolvido, a pedra no rim continha uma energia a ser trabalhada em Constelação familiar, falei aqui o que é e onde faço.

Voltando às caixas com produtos, a não empolgação veio de uma distimia - uma das variantes de depressão com requintes de mau humor, aliadas à crises de dor homéricas da fibromialgia.
E foi o principal alerta: aquilo que eu gostava de fazer, já não empolgava, na verdade absolutamente tudo que gostava já não fazia mais sentido!
Então finalmente tomei a decisão de fazer um período sabático pois sim, como aromaerapeuta e terapeuta holística sabia que um quadro assim, há sempre um aprendizado por trás.

Mesmo com vontade de ficar enfiada na cama o dia inteiro devido ao desânimo, mau humor  e dor generalizada da fibro, continuei no grupo de Constelação familiar e autoconhecimento, porque sim - somente o autoconhecimento promove a transformação, portanto não havia espaço para outras coisas além de cuidar de mim e minha nerdice generalizada em estudar meios de cura, que álias estou estudando Florais agora porque usei em mim e tem dado resultados excelentes, álias, tudo que digo aqui no blog, eu testei e estudei por muito tempo, antes de soltar informação sem nenhum embasamento.

E juntamente com os processos do meu movimento em direção ao minimalismo, que venho contando nesta tag aqui. Que também entendi ser um processo, não adianta se livrar de tudo de uma vez pois as vezes você não está pronto pra abrir mão, muita coisa servia como âncora aqui no planeta Terra, principalmente se você é Índigo, com dosha Vata predominante e ainda te falta o elemento terra no mapa astral. Álias já fazem 3 anos que estou despachando coisas...

+leia também: Ayurveda | descubra as caracteristica doseu dosha predominante

Na verdade foi um processo bem complicado, nunca fiz uma desconstrução tão grande como essa...e sinto muito em te dizer mas trilhar o caminho do autoconhecimento e cura não é fácil, dói, incomoda - eu brinco lá no grupo que é como descascar cebolas rs...,você pega uma questão e vai descascando camada por camada: arde os olhos, chora, incomoda, cansa, dá preguiça...

 ...e há que se ter muita disposição e algum dinheiro, mesmo porque, não são muito baratos estes meios de cura. Funcionam?! Sim, mas há que se ter paciência para atuarem no organismo  - eu atualmente estou nos florais e aromaterapia pra apoiar meu processo de autoconhecimento.



E depois de algum tempo x alguns florais x vários óleos essenciais, finalmente encontrei meu dharma, que é ser terapeuta holística, minha coach da Constelação e minha falecida terapeuta floral já tinham dito do meu dom pra cura, só que há 5/6 anos atrás eu ri alto: cumassim?! Eu toda torta terapeutizar alguém?!
E se tivesse feito meu mapa astral, que também consta meu dom pra ser terapeuta, naquela época também não acreditaria. Portanto mais uma lição aqui: o  que sua terapeuta te diz pode não fazer sentido na hora, mas convém anotar, pois tem coisas que você só entende muito tempo depois! Até o perdão é um caminho a ser trilhado, você sabe que precisa mas ainda não consegue...

Atualmente saí da depressão distimica, tenho pelo menos 2000 coisas a menos em casa e pelo menos recuperei o ânimo pra vir aqui escrever...

+Leia também: Minhas leituras| A mágica da arrumação, - Marie Kondo


... e finalmente tive coragem pra assumir a fibromialgia aqui com todas as letras, me dei o direito de estar doente e tirar um tempo pra mim. Sou japa, tenho um nível de cobrança e rigidez de um samurai! Que com muito trabalho interno e ferramentas de cura aprendi a ser mais flexível...

Também fiz as pazes com a idéia de ter um gato, que também só foi possível depois destes vários anos de trabalho em autoconhecimento, olha que linda a Shanti:




Porquê estou me expondo tanto?! Porque a experiência e os processos de outras pessoas me ajudaram tanto, pode ser que venha um luz, um insight pra você... ... além de ter dom de terapeuta... que assim como foi dificil pra mim aceitar ser Índigo numa família extremamente racional e materialista, pode ser difícil pra você também... e sim, fibromialgia acontece muito em pessoas Índigo...

IMPORTANTE:  este blog não receita fórmulas de aromaterapia para fibromialgia e outros processos, é preciso avaliar todo o quadro para determinar quais óleos essenciais podem ser usados com segurança, para não agravar outros sintomas e não haver interações medicamentosas.
Caso queira uma consulta, entre em contato aqui.


5 de dezembro de 2015

Mudança de ares, novos projetos...

Ano que vem o blog fará três aninhos, é um bebê ainda rs... passei um ano pesquisando sobre cosméticos orgânicos, artesanais 100% naturais e tudo sobre o lado verde da força... então já são  4 anos que troquei todos os meus cosméticos.

Não sei direito o que fazer para comemorar o níver do blog mas uma coisa era certa: mudar o layout do blog. Porque enjoei... não me via mais com arco-íris , estou mais leve, com menos firulas graças ao minimalismo, ando escrevendo meu progresso aqui alias , então também queria dar um ar mais clean... só não consegui muito no banner, porque achei muito fofo assim rs...


Mas já está mais leve na lateral, álias vocês gostam desse colorido ou seria melhor um fundo branco no banner?!
Quem fez o trabalho, à base de escambo e umas trocas entre a gente, foi a Milena da Sugoi Art.
Ela trabalha com artes gráficas, para web (blogs e sites de pequenos negócios, artesãos e blogueiros),
e também para material impresso.

Vende os trabalhos artísticos estampados em canecas, bolsas ecológicas, camisetas e também em quadros para decoração, veja aqui.
Além de fazer edição de vídeos, produção e edição de fotografias para comercio eletrônico, voltado para o lado da publicidade e propaganda, fotografias de produtos em geral.

É freelancer em tempo integral, presta serviços para empresas de ensino a distancia e de desenho gráfico em regime de contrato.

A conheço pra mais de cinco anos, ela fez o layout do meu antigo blog de cosméticos convencionais, o Yummy Tips, fez até o esqueleto do blog, vejam:



sim, eu sou aloka do vermelho kkkk

Pra ver mais trabalhos e entrar em contato segue link, clica aqui.

Outra novidade é que o Fb voltou a aceitar que se mude de secreto pra fechado o grupo de Fb do blog, lá serão divulgados as datas do serviço de encomenda (saiba mais aqui) , o que chegou na lojinha de maquiagem orgânica do blog (conheça aqui), e claro, bater papo sobre os assuntos do blog, energias positivas, alimentação orgânica, terapias holisticas... tá no comecinho ainda, clica aqui.

Enfim, essas são as notícias que queria passar! Uma boa semana pra todas!

2 de outubro de 2015

Minimalismo | Apenas duas calças jeans!

Este ano praticamente não falei de minimalismo no blog, só da experiência com cipreste AQUI em janeiro, que me ajudou a desapegar das coisas com mais facilidade.
E como me programei pra atrair aquilo que preciso para curar minha vida (isso é uma afirmação do livro da L. Hay , falei AQUI)  atraí o livro da Marie Kondo que tem como premissa só manter o que você gosta.
Se eu fiz do jeito que ela ensinou, pegar por categoria e ir despachando?! Não... mas tive um olho afiadissimo e a cada manhã me perguntava o que posso despachar?!

Resultado: mais de (e não me orgulho!) 400 itens! Sim, eu anotei   um por um, e com isso, pude perceber que já tenho o que preciso para viver bem e que não me falta nada! E ainda agradeci a cada um deles por ter feito seu papel...
(bom, só me falta um somzinho porque descobri que os acordes  dos instrumentos musicais me empolgam e emocionam... e uma máquina de pão porque não levo jeito pra sovar massa e não quero mais pães cheios de químicas dispensáveis... mas só...)



Com o exercicio de agradecer, passear no shopping ficou mega monótono, não me atrai mais comprar roupa, me da angustia de pensar que posso estar motivando trabalho escravo, falta de condições decentes ou aumentar a montanha de lixo textil no mundo, que demora 400 anos pra decompor...

Álias , indico assistir o documentário no Netflix - The true cost, tem uma ótima resenha aqui. Só vou ao shopping agora pela livraria... pra me atualizar- mas muita coisa acabo comprando pelo Kindle porque livros ocupam espaço...

Chegando  finalmente ao título (perdoa a pessoa, são 9 meses de atualiazações rs...), engordei 10 kg nesses 1 ano e meio de mudança/adaptação - sim, o stress aumenta o cortisol que faz acumular gordura na barriga e também chutei o balde e descontei na comida pelo pior inverno da minha vida, aqui é mais frio, aumenta a dor que é crônica e só consegui um bom médico em julho... e também não foi fácil me adaptar numa cidade do interior, vindo da capital.

Ninguém acha que engordei de sair rolando, porque eu tinha 55kg e vestia 38 mas até o 40 estava dificil.
Eu já tinha uma calça 40 que foi laceando com o meu engordar e usei só ela por um bom tempo até que senti falta de um jeans azul , porque essa calça é um preto desbotado. Daí comprei...
E fiquei revezando só as duas...
... daí percebi que dá pra viver muito bem com duas calças jeans e uma tipo exército no inverno...

... e que não... antes não precisava de 15 calças e agora que trabalho em home-office e saio pra fazer compras, dentista ou médico... não tem mesmo necessidade. Daí despachei modelos mais escritório principalmente...

... e também despachei muita, mas muita roupa que acabei herdando de uma tia falecida, que eram super legais, bonitas... mas não tinham a ver com meu atual estilo.
Nisso também pude ver que o excesso de coisas não faz ter um bom guarda roupa, minha tia vivia reclamando de não ter o que vestir, porque muita coisa não era do estilo dela, e olha que foi 2 sacos de lixo grandes pra mim, uma mala pequena pra minha tia e outra pra prima e ainda sobrou...

E finalmente consegui tirar a comoda do meu quarto closet- trouxe para o escritório pra guardar material de aromaterapia (caixas pra correio, embalagens, os próprios óleos essenciais) , agora cabe tudo com folga, sem amontoar, depois mostro como ficou a arrumação, porque ainda quero despachar mais, quem sabe chegar num guarda roupa cápsula.

Engordar foi ruim pro corpo, a pele ficou horrível e até hoje está produzindo sebo no rosto em forma de bolotinhas,  só consegui perder 3kg por ter feito um detox de 5 dias, falei AQUI - mas foi ótimo pra me fazer enxergar que dá pra passar o inverno com 3 calças.

E não estou dizendo que é pra você ter só três calças, mesmo porque, eu trabalho em casa - suas necessidades  você quem define!

23 de março de 2015

Entenda como funciona o blog

Pois é... minha câmera morreu e acho que não vai ter resenha tão cedo... agradeço aos 4 anos de registros de bons momentos e dos produtinhos e coisas bacanas que mostro aqui...
... registrado o velório da câmera, aproveito pra fazer um post explicando como funciona as cousas aqui no blog.










- Teu blog parece tendencioso incitando algumas marcas

Não senhora, aqui no PBS nunca foi feito um publieditorial, aquela publicidade paga em forma de dica amigue se algum dia houver, isso será sinalizado. Não tenho motivos extras além de gostar muito, se disse que gostei em resenha é porque gostei mesmo!

O que acontece é que algumas marcas enviam produtos pra cá com mais frequência do que as outras (e até agradeço por isso pois se tivesse que comprar tudo criaria sérios problemas orçamentarios), dentro desses envios e até nas minhas compras  tem produtos que não gostei mesmo e por isso não falo.

- Você é chata, feia e boba porque não resenha produto que não gostou

Se você soubesse o tanto de trabalho que tenho em fazer uma única resenha, analiso a composição, cheiro, estabilidade, efeito nas cobaias da casa x algum tempo, testo de tudo que é jeito, testo de N formas, porque essa é a vantagem do natural, versatilidade e multifuncionalidade.

Heglaé e eu concordamos entre muitas outras nisto: fazer resenha de produto orgânico é bem mais complicado do que um produto convencional, pois se tiver urânio no produto e funcionar lindamente a resenha sai, aqui tem que ver se aquele ingrediente tem algum risco no EWG

Por isso não vou me dar o trabalho de tirar 10 fotos pra uma ficar boa e gastar pelo menos 30min da minha vida escrevendo do fracasso, porque além de tudo, vai que só comigo deu errado... claro que se você me perguntar de tal produto que não falei aqui, te digo sim o que achei...
(até porque  acho que isso encurta  a vida útil da câmera, o memory card tá cheio de foto "mas porque raios tirei foto disso?")

Também tenho como principio evitar falar do que não gosto, pra tudo na vida, porque acredito que a palavra tem energia, falo de coisas que gosto e das bacanas, atraio mais coisas que gosto, simples assim...

- E porque você fala mais de uma loja e nunca fala de outra?!
Pode ser que você tenha tido algum problema com a loja, mas de todas que falo por aqui, lendo opniões alheias sobre as mesmas, fico segura de falar por aqui.
Algumas tem programas de afiliados que sim eu uso porque ganho zero reais pra fazer isso aqui funcionar, mas porque já comprei, tem um bom atendimento e são confiáveis inclusive para outras pessoas.
E claro,vou falar da minha - a Cosméticos &cia , porque mantenho com o objetivo de atender as pessoas que não tem cartão internacional ou que não querem comprar fora por N motivos, além de trazer produtos que não são tão acessiveis ou porque não tem similar nacional.

As mais citadas por aqui é porque costumo fazer minhas compras por lá com mais frequência - por N vantagens, antes de ser editora do blog sou consumidora e se algo funciona pra mim, acredito que seja bom pra você, que álias não é obrigada a comprar pelo link do blog, mas se fizer a gente aqui agradece.
Se nunca falei de tal loja em resenha ou na listagem de lojas que mantenho aqui no blog acredite, é porque nunca comprei ou porque deu problema.

- Mas por quê você fala de outros assuntos e não só beleza?!
Eu acredito que beleza física, é um conjunto de ações e atitudes a serem tomadas. Acredito que a base dela vem de uma boa alimentação e um bom equilibrio psicológico (tenha uma temportada de stress pra ver se não fica tudo péssimo...) aliados a bons cosméticos. Por isso falo por aqui de alimentos e locais de compra destes mesmos, porque é uma coisa muito nova pelo menos aqui no Brasil,, nem todos conhecem e uma dica pode ajudar.

Falo de psicoaromaterapia porque é meu ramo de atuação e se eu sei que tal óleo pode ajudar, que não oferece risco e que eu não preciso levantar a anamnese pra passar por aqui eu falo sem problemas. Porque cansa a beleza e detona a saúde ficar com preocupações e problemas que podem ser resolvidos com uma simples gota.

Falo de minimalismo porque quero ver as pessoas livres de imposições sociais que acabam cansando a beleza e o bolso.

Falo dos livros que ando lendo porque sempre tem quem me pergunta.

Pra mim, tudo isso faz parte de uma beleza saudável.


-------------------------------------------------
Enfim, esse é meu blog, pessoal, sendo assim, é minha opinião que prevalece sempre, independente do produto ter sido comprado ou enviado, se é da amiga que conheci pelo blog ou se pode ser comprado na loja que tenho afiliação.

9 de março de 2015

Minimalismo | Escambo

Desde setembro entrei na vibe minimalista, mais no sentido de não comprar supérfluos e destralhar o excedente aqui em casa. Já foram uns 10  sacos de sessenta litros de coisas diversas, todos doados.

Agora, coisas com algum valor, como um grill redondo que ganhamos de casório, eu preferi partir para o escambo.

Já tinha entrado no contexto do escambo, alguns anos atrás, com o próprio layout do blog. Uma designer que precisava de um suporte em psicoaromaterapia, me ofereceu o layout deste blog e da lojinha dele também (já já quero ver  se consigo outro escambo para fazer as etiquetas das fórmulas e produtos desenvolvidos por mim...) .
Mais pra frente, quando precisei de um atendimento personalizado da minha coach no meu processo de autoconhecimento, ela aceitou escambar o atendimento em troca do que sei sobre blogs e redes sociais, fui a relações públicas dela por algum tempo.
Estes foram por questões orçamentarias, nessa época não tinha o dinheiro para pagar estes serviços e assim foi, o sentimento de gratidão é algo que não dá pra mensurar!

E o próprio blog tem um grande movimento de escambo - as marcas enviam produtos pra teste em troca de uma resenha com a minha opnião (e que fique bem claro, não tem publieditorial , foram todas resenhas porque gostei muito dos produtos e valiam a pena mostrar aqui).

Também passei a escambar corte de cabelo, minha cunhada é cabeleireira e não aceita que eu pague -não acho justo ela cortar minha juba que cresce que nem capim de graça... então dou coisas que tenho aqui parados que ela vai usar
.


Voltando as coisas com algum valor, algumas coloquei a venda - mas o que fazer com uma fonte de pedra sabão que dificilmente seria vendido pelo peso que tem?! Foi pra escambo.
Essa da fonte foi muito legal, quando conheci a pessoa ao entregar a fonte d'agua, percebi que é uma pessoa humilde, escambou porque a filha queria muito uma fonte. Fiquei feliz de trazer alegria pra uma criança com algo que ficaria parado aqui. É pura energia boa que recebemos ao fazer estas trocas.

E na verdade, acho que o maior valor do escambo no caso de trocar as coisas é este: dar um bom uso para coisas que só estavam ocupando espaço aqui em casa.

Graças aos céus eu não preciso de muitas coisas materiais agora, a casa já está equipada, faltam coisas como um microsystem por exemplo que não é uma necessidade básica. Então optei por escambrar por alimentos rs... pacotes de alimentos orgânicos ou não pereciveis, porque comida de qualidade e orgânica é um dos maiores investimentos que podemos fazer por nós.
Nem sempre consigo porque tem gente que prefere trocar só por coisas que elas tenham, pois de certa forma já fere o próprio conceito do escambo ter que fazer a pessoa comprar. Mas a ideia principal é não usar dinheiro como moeda de troca.

Também já troquei coisas por litros de óleo de cozinha usado pra fazer sabão,  por alguns motivos: na minha família não se faz muita fritura. Se eu compro base vegetal gasto dinheiro. Se troco pelo óleo de cozinha, já entro no contexto básico do escambo, além de ajudar o meio ambiente.

E assim tem sido meus dias de escambo, na grande SP  o movimento já é tão grande que seguranças do metrô já estão causando encrenca nas plataformas e catracas, local preferido para as trocas.
Se você tem coisas paradas e quer escambar, este grupo do facebook é ótimo - clica aqui.
Ali se escamba de tudo, desde eletrônicos, celulares, cameras, roupas, até tatuagem , serviços como corte de cabelo... é bem bacana!

E no contexto ambiental, trocar coisas paradas com outras pessoas é muito bom,uma porque essa coisa não vai para o lixo e outra porque não se compra um novo, onerando recursos naturais na fabricação de um novo produto.

Update: leitora disse que no Rio , lá no grajaú tem a maravilhosa feira desapegue-se, todo segundo domingo do mês, na praça Edmundo Rêgo.

6 de janeiro de 2015

Os desapegos de 2014


O ano de 2014 teve alguns marcos, como a mudança de casa e claro que toda mudança tem algum desconforto e um certo stress, tanto stress que fiquei doente entre nov /dez e  tive vontade de sumir com esse blog que escrevo... mas depois de uma reflexão, onde mais poderia mostrar para o mundo que é possivel fazer diferente?






Então aqui vão algumas coisas que boicotei ou consegui desapegar:

- Produtos Nestlé
É praticamente impossivel fugir do monopólio da Nestlé, domina o setor alimentício com suas fórmulas bombásticas. Claro que a resposta está em procurar marcas como Jasmine, Mãe Terra e  feiras orgânicas... mas quem não pode?! Pois sim ainda são mais caros produtos com fórmula mais natural, pois o sintético sai baratíssimo!

Foi dificil até matar a sede nas férias, no marco das Três Fonteiras em Foz do Iguaçu, o único comércio que tinha por lá era monopólio da marca, num calorão de rachar ficou impossivel... lição aprendida: levar sua própria água.

- Lojas Renner:
Admito que gosto muito das roupas de lá mas quando foi noticiado  que a rede usa trabalho escravo, com muito orgulho paguei a última prestação e não pretendo mais comprar lá, embora nesse dia tinha uma jaquetinha linda me olhando e pedindo pra levar; bom... nesse caso o minimalismo entrou em cena e visualizei as outras opções que já tinha, somado com essa noticia... ficou mais facil.


- Desvinculo total da Avon:
Desde que entrei para o lado verde da força, já vai pra 3 anos, deixei de revender a marca mas convenientemente a operadora do cartão de crédito me manteve no programa.
Em janeiro de 2014 resolvi me livrar dele... tentei  TRÊS VEZES pelo telefone mas as 'fias' do telemarketing desligavam na minha cara, foi para o Procon e assim consegui me livrar de vez de ter vinculo com uma marca que usa sintéticos nocivos e testa em animais... este ano pretendo me livrar de mais um ou dois cartões.

- Usar ZERO produtos de limpeza químicos e tóxicos

Com muito orgulho, digo que é possivel limpar a casa usando zero de quimica nociva. Bicarbonato, vinagre, limão e sabão feito em casa e detergente 100% natural Biowash, limpam e amaciam as roupas, desinfetam banheiro.
Alcool é industrializado mas natural, uso pra compor o limpa vidros.
Lustra móveis ou uso óleo vegetal ou uma emulsão feita por mim.
Se quiser saber algumas receitas tem aqui;

- Vontade quase zero de comprar vestuário

Digo quase zero pois tem algumas peças chave que gostaria de ter no guarda roupa como um vestido de malha liso, daqueles que só ele tá ok, veste e sai andando, uma sapatilha bicolor e um shorts jeans de altura decente, não aqueles micro escandalosos, esse ta muito dificil!
Mas constatei isso quando fui em Embu das Artes com o objetivo de comprar uma jabuticabeira, lá é o paraíso da roupa artesanal, não fez nem cócegas e confesso que fiquei com tédio, um dos meus passeios preferidos era sair pra garimpar algo novo...
Voltei só com plantas:  a jabuticabeira, um gerânio pendente, duas lavandas, um orégano, um alecrim e mudinhas de tagetes e crista de galo, isso por estar montando jardim e horta.

----------------------

Enfim, pra mim já são mudanças significativas, shopping agora é pra entrar na livraria ou ver fórmulas na Sephora pois sempre tem leitoras  perguntando de algum produto de lá. Perfumaria, nem algodão compro pois tônico vem em spray e quase não faço unhas, entro só pra comprar a máscara da Surya e saio.

Na verdade ter criado consciência de que cada compra emite carbono, gasta recursos naturais, energia elétrica, a embalagem mesmo sendo reciclada gasta mais energia eletrica e agua pra reciclar, quando não vai para aterros já sobrecarregados, torna mais fácil essa tarefa.
Claro que ainda não sou nenhuma santa no modelo de consumo, mas pretendo cada vez mais comprar só o necessário, de comércio justo, com ética.

E vocês, o que decidiram não comprar mais?

5 de janeiro de 2015

OE da semana | Cipreste X desapegos

Eu  queria postar mais em dezembro... não deu, o recesso desse ano não serviu pra descanso, serviu pra terminar de ajeitar o interno da casa nova e de apresentar a quem não conhecia, como a familia do marido... juntando as festa de fim de ano, no dia 1 só sobrou pó de Yumi rs...

Desde que me mudei, a montagem da casa foi ao longo do último semestre e com isso as coisas tinham que ser trazidas aos poucos, nessa hora eu vi o tanto de coisas que tinha e a grande maioria era inútil nesta casa ou no meu novo padrão de vida. O problema é que eu olhava para a bagunça e não consegui agir, ficava em pose de pensador de Rodin, olhando e tentando dar um jeito pra essas coisas, que já sabia que não nos serviam... mas nada!
E isso me irritava profundamente!

Até que trocando ideias com uma querida (gratidão sempre sua linda!) , disse que estava se trabalhando com oléo essencial de cipreste. Então veio a luz!


É um OE que trabalha a má circulação e edemas, o que faz dele ótimo  pra tratar celulite, que nada mais é que má circulação, retenção de liquidos e aspecto casca de laranja = edema.
Também atua na tensão nervosa, na ansiedade e trabalha questões emocionais, como a perda de um ente querido.
Existem outros usos além deles, é um OE seguro, só deve ser evitado por gestantes.

Fonte: Guia completo de Aromaterapia - Joana Hoare



Experiências da Yumi

Na psicossomática, retenção de líquidos significa que você está retendo algo, emoções que já deveria ter mandado embora, e na vida, o que está dentro, está fora, se você tem acumulado emoções negativas, pode ter certeza de que o acúmulo de coisas é a materialização disso.

Acontece que já me trabalhei muito, seja em terapia floral, na aromaterapia, nos quatro anos de curso de Constelação Familiar.
Antes eu precisava das coisas, um dos exemplos era não saber lidar com a morte do meu pai aos 9 anos de idade, então as coisas preenchiam o buraco  dessa perda.
Mas a medida que fui me trabalhando, a necessidade foi diminuindo e já conseguia enxergar que de fato, não precisava mais delas. Mas algo impedia o movimento, a ação ...

E claro que fiquei louca da vida pois sabia que precisava dar um jeito no excedente, então como que num recado do Universo passado pela amiga querida, o cipreste foi a salvação!

Na primeira semana baixou o espírito de maria amélia e lá se foi mais um saco de roupas e um saco de supermercado de tranqueirinhas.

Na terceira semana foram mais três sacos, entre desapegos e outras tranqueirinhas inúteis.
Então o cipreste é a alavanca, a mola propulsora que faltava, é um óleo que pode ser definido como deixar ir.
E lógico,  sensação de alívio e de ter a casa mais leve e destralhada é indescritível!

Como conheci o minimalismo e estou num processo de manter somente as coisas essenciais e prioritárias, será um OE muito usado também em 2015.

Se você também está nesse impasse, a dica que dou é de usar 3 gotas em 10ml de creme neutro ou óleo vegetal. Passe exatamente na celulite que representa o acúmulo. Também é bom inalar o OE, pode ser no colar aromáterapico ou cheirar a fórmula feita.


*Utilize o código PBS2016 e ganhe 5% de desconto na Aromalife - loja especializada em produtos para aromaterapia! Clica aqui.


7 de setembro de 2014

Minimalismo: Eu tenho muita coisa!

Desde a útima postagem aqui sobre minimalismo, já tem um mês, não larguei o projeto, mas tinha que viver também, até hoje não consegui ir na piscina do condominio, todo fim de semana é pra correr atrás das coisas pra casa, que desde abril estamos montando...

Enfim, faz dois meses que mudei não tinha como não vir, mesmo sem os planejados, já cheguei a dormir aqui  num colchão inflavel, só com chuveiro instalado e uma sanduicheira rs... acampamento total... todos os serviços dependiam de alguém pra acompanhar,  os planejados, granito... terminamos?! Não! Acabou a verba pra grandes projetos rs...

Até que minha mãe teve a ideia genial #sqn de chamar todo mundo no próximo domingo pra conhecer a casa. Quase surtei, mas acreditem, quando ela tem uma ideia ninguém a faz mudar ... essa é minha mãe...

Estava querendo xingar já - como vou inaugurar o que não tá pronto ainda?! Mas  no meu novo padrão de pensamento, agora tento ver algo de bom nas situações....
Então tá, esse é meu closet:



Começa na porta,ocupa três paredes e tem essa comoda que era do nosso quarto, mas como comprei uma penteadeira, veio pra cá... então é isso o que tenho pra guardar as roupas, pessoais, de cama e de banho, uma prateleira pra isso e tenho o báu do box também, que vão as cobertas, muitas porque sou friorenta.

E aos poucos tenho trazido as coisas da outra casa. O primeiro grande tabefe acerda das coisas foi:
Eu: - Você não vai pegar mais coisas suas pra levar?
Marido: Que coisas? Já acabou

Béeeeeeeeeee - ta bom né... marido tem a porta de espelhos,  cabideiro de camisas, em cima prateleira (que tá vazia por enquanto) e quatro gaveteiros aí dentro. As roupas do dia a dia dele estão aí e ainda sobrou 2 gavetas livres. no armario de canto tem um cabideiro curvo e o calceiro, que tem 2 ternos dele e as calças ocupám 1/3 - tipo: marido só precisa daquilo... #vergonha!

Tirando a prateleira das  roupas de cama, um gaveteiro com documentos e uma pasta de notas fiscais, o resto é tudo meu! Calma que não tá tudo ocupado - pausa pra gritar e cair de costas: AHHHHHHHHHHHHHHHHH!

Mas sim, eu tenho muita coisa, na outra casa tinha duas portas de ármario embutido no corredor, mais o armário em L e uma comoda parecida com essa, quer dizer, eu tenho muita roupa, fato!
Preciso de tudo isso?! Não!

Antes de me mudar já deixei uma mala média, mais duas sacolas com roupas pra doar ou vender, ainda não me desfiz porque não tive tempo mesmo e por também querer registrar pelo menos o destralhe do guarda roupa...
E não, não tem graça, tenho remorso de ter tanta roupa, ok que com as doações de uma tia falecida encheu mais 1/4 meus armários ...
 Fora que produtos de beleza estão ou nos armários do banheiro e make na penteadeira...

 Então em mais um dia que trouxe mais uma mala da outra casa, postei isso no grupo Vida minimalista (que sim, recomendo tanto o blog quanto o grupo tem me ajudado muito nessa saga):

pensamento enquanto estava colocando as coisas no lugar adequado:
"preciso de mais ganchos, mais caixas organizadoras, mais prateleiras"
pensamento num minuto de reflexão:
1 - ninguem precisa de tanta coisa
2- é meio burrice financeira gastar mais dinheiro pra comprar organizadores e organizar coisas que só estão causando bagunça
resultado: joguei mais um terço daquilo que achava que deveria manter ou deixar na sacola de doação que coloquei pendurada na maçaneta da porta do comodo 

Tá vendo a que ponto o acumulo de roupas chegou? É muito mesmo! Já tinha comprado um kit de caixas organizadoras e estava querendo mais... helloooooooooooooo!

Resolvi me entender com o que já tinha... não preciso dizer que meus armários na outra casa eram uma bagunça e que vivia reclamando não ter roupa (essa é pra rir eu deixo). E pra mim, isso não era um problema em si - tive que me mudar anuma casa com 1/3 do tamanho da anterior pra perceber que sim, era um problema e que sim, eu era consumista.

O pior é que eu vivia doando roupa, mas a medida que dava, eu comprava, então a única solução foi parar de comprar, desde que me propus, comprei um mocassim super macio , uma camisa jeans, uma florida e uma jaqueta, que sim pensei trocentas mil vezes antes, mas foi uma compra boa, pois todas já saem andando sozinhos de tanto que uso...

Então no fim, mesmo querendo xingar minha mãe, que quer inaugurar minha casa sem o rack da TV, sem o quintal estar sem cobertura e uma parte com piso, agora eu agradeço pois se não fosse a urgância em deixar apresentavel, não teria tido essa reflexão... tá vendo como é bom tentar extrair coisas boas de uma situação desagradável?!

7 de agosto de 2014

Da dor e do caos mental que o acumulo de coisas causam

Essa semana estava tensa e com o emocional abalado, não conseguia nem vir  aqui no blog pra escrever.
Minha casa ainda  estava parecendo um campo de batalha, coisas espalhadas por todos os lugares, onde deveria ser a mesa de jantar tem uma pia (isso mesmo, uma pia!) fazendo barreira e com a porta balcão aberta 24hrs  para as dogs não ficarem circulando dentro de casa sem  autorização e para não dormirem ao relento e frio enquanto as casinhas de cimento não estão prontas - o quintal não tem cobertura, os armários/balcão e a pia do banheiro a marmóraria está devendo há uma semana- e sem esses dois móveis, por exemplo, tem escova de dente na pia da cozinha (socorro!). Além disso tem uma comoda na sala servindo de apoio pra TV e o note pra ver séries pelo HDMI da TV.

Eu não consegui lidar com tanta coisa fora de ordem e surtei, dava vontade de sentar e chorar, não aguento mais esse status de acampamento que já passou de um mês.

Então, nessas situações dificeis, costumo meditar pra vir uma luz... a primeira delas é ligar  tecla f.. e guardar tudo que não tinha lugar definido nos armários do closet, no box do colchão... enfim, onde desse...

Por incrivel que pareça, só de ter tirado do meu campo visual toda a bagunça já ajudou, porque não conseguia nem pensar de tanta bagunça e tanto caos...
Depois disso, comecei a arrumar estrategias de organização, que mesmo tendo socado tudo dentro dos armários, não dava pra jogar aleatoriamente, então agrupei por tipos, como cosméticos.

Arrastei a comoda para o closet, onde ela deveria ficar e assim consegui organizar pelo menos as roupas de banho...
E cheirando óleo essencial de cedro e lavanda, me veio esse insight

meu Deus!
Como me incomoda, é desconfortavel de chegar a doer, ter que lidar com as trocentas coisas (objetos mesmo: roupas, sapatos, coisas de cozinha)
e mais ainda ter que olhar pra bagunça que a casa em formação ainda tem, pois ainda os móveis não estão todos terminados ou não estão em seus lugares

Não quis olhar pra isso antes, agora copm a mudança sou obrigada, na marra a ter que olhar e lidar com isso.
(afinal cada objeto tem nossa energia, cada uma daquelas inutilidades era um buraco emocional ou uma compensação...)

Ok, foi dolorido e tow mimizando aqui  - mas voltar pra casa antiga e indo pegar de pouco em pouco nossas coisas (porque não tem onde guardar tudo devidamente sem socar), dá um mal estar sim. O primeiro deles é o distanciamento, com olhar de observador - aquele monte de coisa não combina mais comigo ou com a casa, no entanto ainda dói mexer em alguns objetos, pois no meu caso - como disse para uma amiga, os objetos tinham uma função bem específica: marcar território na casa, me ancorar nessa vida, já que tive depressão e tive vontade de desistir, muitas vezes quando comprava naquele estado eu dizia para marido: 'compro pra me sentir viva' - e por fim certos looks como botas, casacos 7/8 óculos escuros tipo máscara, as vezes luvas, chapéu e cachecol quando estava muito frio, além de ter a função de me aquecer era pra me esconder... principalmente no curso de Constelação familiar e autoconhecimento.

Claro que continuo gostando de botas pois são de salto baixo e confortaveis, continuo gostando de casaco 7/8 , de óculos máscara, mas já não sinto mais a necessidade de me esconder, uso por gostar.

E claro que ainda tenho que destralhar muita coisa, pois não cabe ou não uso, então o que tem funcionado pra mim é trazer tudo na mala e verificar e deixei uma gaveta pra  agrupar essas coisas, tudo que não quero, pra não deixar espalhado pela casa, deixo lá.

Enfim, já são 3 meses que resolvi abraçar o minimalismo, mas ainda não sou... mas já estou feliz de andar pela Liberdade sem comprar algo só por ter achado bonitinho ou por estar barato...


24 de julho de 2014

Minimalismo | Das roupas de fitness


Fazem duas semanas que estou no meu 'acampamento-próprio' - estou aqui na nova casa me virando nos 30 pra viver, por enquanto só o escritório já tem os móveis (e que se não fosse isso + ter encontrado uma boa internet, vocês não me veriam tão cedo rs...) e esse exato instante finalmente estão montando os móveis sob medida -YAY! não vejo a hora de mudar do status acampamento pra finalmente aqui virar um lar!




Voltando ao assunto do post, estando aqui na casa, já deu pra sentir minha real necessidade de roupas - e vou dizer que fiquei surpresa com a pouquissima quantidade que estou usando, basicamente passei duas semanas com: uma calça de malha, três blusas por estar frio, uma roupa de  ginástica (sim, conheci meu esporte oficial da nova etapa: andar de patins! Amo!) e um pijama.
Nos pés: uma pantufa pra andar dentro de casa, um chinelo para o quintal, tênis pra caminhada - ponto!

E na verdade, não deve ser muito mais que isso, pois trabalhando em home-office, basicamente é esta minha rotina, amei!
(agora que vamos ver o quanto de roupa sairá...)

Também tive um insight muito bom na casa antiga, olhando para o guarda roupa com pose de pensador de Rodin:
licença que meu pensador de Rodin é o Cebolinha, rs rs... povavelmente pensando num plano infalivel rs rs...

Não vou parar de fazer atividade física, fato - mas que finalmente consegui definir os tênis, mantive dois de quatro, -um em tom avermelhado/cinza e um outro branco com azul que ganhei de mommys.
Definido isto, fica mais fácil decidir quais roupas irão embora, quais manterei e também a paleta de cores fitness, pode parecer pouco mas já é um senhor adianto essa definição.

Além do exercício, é de tênis que levo minhas dogs pra passear.

25 de junho de 2014

Minimalismo semana 8 - Casa vazia x casa cheia

Ao longo do tempo fomos comprando coisas para a casa nova, uma vez que a casa antiga tem é espaço de sobra... mas ao longo dos meses, caixas enormes e pesadas de moveis pra montar e grandes elétrodomesticos, junto com a já presente inutilidade presente na casa toda, deu um piripaque nos moradotes, estava dando desespero olhar pra tanta coisa amontoada -que sim, preciso me livrar disso pra me mudar de vez... mas tem uma coisa que eu noto muito e todas minhas terapeutas holisticas observaram: que a energia da casa antiga é tão complicada que interfere na vitalidade e apatia das pessoas...
tanto é que fiquei dando refresh na timeline do facebook, brinquei com a dog, fiz uma tapioca - mas estava enrolando pra fazer esse post... e tenho percebido muito bem isso na maioria dos outros.

Agora na casa nova, onde aos poucos móveis estão ocupando, onde deve, como deve e sem exageros, eu aqui que necessitava de cor nas paredes pra não morrer de tédio, ao me deparar com paredes branquinhas, sem coisas entulhadas, me promoveu duas coisas:
- espaços entulhados dão nó nas ideias, impedem de pensar
- espaços clean dão maior bem estar e as ideias fluem muito bem

quem consegue pensar em cima de uma pilha de coisas ?


Ah sim, também acatei a sugestão da coacher, quando me deu desespero do  tipo "o que vou fazer com esse monte de coisa que não uso/ não cabe na casa?"
Me disse para observar o que motivou a compra daquilo, agradecer por aquilo ter te apoiado em algum momento e se despedir, não simplesmente jogar fora/vender... e por incrivel que pareça com algumas coisas que consegui fazer o exercicio, descobri qual foi a necessidade que aquilo me atendeu... podem ter certeza que muita coisa foi comprado pra tentar tapar buracos emocionais. E por mais incrivel ainda que possa parecer: ficou muito mais fácil desapegar daquilo!

E por mais que se saiba não custa lembrar: comprar no meio de uma crise emocional é certeza de fazer compra por compulsão e sem necessidade.
Lição aprendida.

8 de junho de 2014

[Minimalismo] semana 6 - da compulsão

Como já sabem,  aconteceu a Bio Brazil Fair,  além da comida orgânica, tinha lá na ponta dos meus dedos a maioria dos cosméticos nacionais.
Para uma consumidora sem problemas emocionais que eram descontados na forma de compulsão, tudo normal - mas para uma ex-shopaholic que já chegou a gastar numa tarde no shopping 1/3 do ótimo salário fruto de um trabalho que detonou sua saúde, sim era um problema, para alguém que não pode sair comprando algo por ter achado o cheiro mais incrivel do mundo também é um problema (por mais que aquele cheiro vindo dos óleos essenciais traga efeitos no emocional).

Mas enfim, do planejado para gastar com cosméticos que eu precisava repor,me saí muito bem, comprei exatamente o tônico diurno e o noturno, deslize foi só no condicionador, pois o shampoo já estava no planejado - mas digo que foi uma tarefa herculea estar na 'disneylandia dos cosméticos orgânicos' e de TPM, esta vilã da grande maioria dos meus ataques shopaholic. Graças aos céus que meu respeito por cada planta que tem num frasco é maior que minha compulsão - sei que não posso acumular, pois se acumulo não dou conta de usar antes de vencer.
Sobrevivi sem fazer um rombo no orçamento.

Alimentos em geral que nesta feira tem preços muito melhores, também consegui me controlar e produtos de limpeza idem (mesmo porque jurei que na minha casa nunca entrariam produtos de limpeza químicos e tóxicos, do jeito que meu nariz e do marido anda sensivel a qualquer fragância sintética não acho que a proibição seja quebrada). Nesse sentido o smartphone é o maior aliado, numa lista simples, anoto preços de produtos que sei que vou usar, como o detergente da Biowash que não contém sulfato e por isso não detona a mão , nem  ajuda a formar a espuma pavorosa no rio Tietê. Nesse caso valeu a pena, pois comprar detergente pelos correios pesa... isso foi necessário
(e entenda que aqui é um blog sobre orgânicos e propostas bem naturais)

Então tá... fomos ao shopping para deixar a leitura em dia: pegar muitas revistas e ler somente o que interessa (essa foi uma das maneiras que adotei há muito tempo pra não sair comprando todas as revistas). Mas no caminho até a livraria, estava  a Forever 21 sem nenhuma fila... já faz praticamente dois meses que tinha combinado que não compraria roupa 'porque achei legal'- mas queria entender o que faz um bando de mulheres esperar numa fila de 3 horas pra entrar na loja.

Primeiros 10 minutos, nada de surpreendente, a não ser preços bem convidativos para itens básicos como tops e regatas... até que: meopai! que calça super linda, super diferente!
Então puxei da mémoria que tinha que dar jeito no meu excedente, que essa calça provavelmente me faria comprar um sapato pra combinar, pois sim, eu tentei imaginar qual sapato daria certo... e por fim, a lembrança mais pesada: minhas dogs não tem teto na casa nova!
(seria mais fácil me mudar e conviver com elas dentro de casa, mas como a beagle foi adotada com seis anos, ninguém conseguiu ensina-la de que marcar território com xixi na casa não pode...)
A vida inteira criei todas as dogs no quintal e apesar de ter conseguido minha graminha, tem um problema: não tem área coberta pra elas... e como faz com a chuva?! Preciso construir um canil de concreto...

Então desisti da ideia, mas a praga é que a mulherada fashionista circulava até na livraria com aquela bendita sacolinha amarela... e o mau humor da TPM, muito mal acostumado a tomar um comprimido de compra, começou a me irritar, daí tive a ideia de que ia comer um dos melhores hamburgueres de SP...

Tudo certo, pois precisava comer mesmo e na TPM me permito um deslize alimentar...
Aí que me veio um insight, que para aguentar a dor da massagem que atenuava minha dor crônica (sim, a massagem era punk, de querer socar a fisioterapeuta mas garantia uns dias sem dor), eu pensava em comida, sempre junk food e sempre calórica, como coxinha e quibe que dentro da minha rotina não entrava... e que se antes eu compensava o stress, ansiedade ou TPM em compra, me caiu a ficha que só troquei uma compulsão por outra: comida!
Faz  dois meses que como praticamente o dia todo, trabalhando em home-office é muito mais fácil.
Daí que me toquei que dobrar o corpo em obliquo já ficou dificil, e que uma das minhas calças não entra...
(e já vi isso em terapia - minha mãe me dava mamadeira pra eu ficar quieta em vez de dar atenção ou colo - só que, até os 7 anos?! E vive dizendo que comida acalma cachorro... então daí da pra ver de onde veio minha associação comida x calmante...)

Pois é, saber aromaterapia pra isso eu sei - o duro é que quando você é a sua aromaterapeuta, você tem que ter noção exata do que tratar e tratar só o sintoma é igual alopatia, que você precisa de um para o que leva a compulsão... bingo... achei!

Por fim, uma frase me marcou bastante hoje: "toda compensação traz uma certa deformação " 
 Adler - discipulo de de Freud

Aguardem cenas dos próximos capítulos...

3 de junho de 2014

[Minimalismo] semana 5 - Da digitalização das coisas

Esta semana apareceram do nada no meu email (?!?!?!) duas coisas interessantes: o Kindle do Amazon.BR  e scrapbook digital.

O Kindle é um reader do Amazon, que vende livros digitais e este leitor é sincronizado tanto no PC como no tablet. Achei muito bom, pois assim diminuo minha pegada ecologica com relação papel, e como sou uma leitora voraz, também não tenho tanto espaço pra guardar a montanha de livros que tenho. Além do que, os preços são bem melhores do que na versão em papel, por cerca de R$8 já dá pra comprar um livro digital.

Os livros tecnicos de aromaterapia, fitoterapia , ayurveda, não abro mão da versão em papel, mesmo porque eu coloco tags  e rabisco todos com notas pessoais. Mas livros que não preciso fazer tanta anotação, posso muito bem ler no tablet ou no PC.



Eu adoro scrapbook e estou fazendo projetos para as fotos que irão compor a decoração de casa, mas sempre me toquei que é um artesanato nada sustentavel, vai muito papel, além do que ao custro médio de R$4 por folha, $10 adesivos e etc x muitos deles, um projeto não sai mais por menos de $50.
Então do nada apareceu no meu email a versão digital (talvez por estar procurando material para scrapbook no google), onde o impacto ambiental fica só na moldura e em apenas uma folha impressa - sensacional!

Por fim, as centenas de anotações que preciso organizar para a casa nova e mudança, estou fazendo em quadro branco e no tablet, usei praticamente só 10% de papel se não tivesse essas duas ferramentas novas.

E você, que medidas digitais incorporou na sua vida para diminuit impactos ambientais, cortar custos e ganhar mais espaço fisico?

15 de maio de 2014

[Diário] O dia em que a mente travou

(Minimalismo - semana 4)
Que eu amo a idéia de morar numa shoebox, que para manutenção e limpeza é bem mais prático e com as proporções reduzidas, o risco de juntar tralha é bem menor...

Só que, eu vivi toda a vida numa casa sobrado, espaçosa pra caramba, e com 22 anos, o salão de festa que era sonho do meu falecido pai foi concluido (a obra ficou parada desde meus 9 anos por ele ter partido) - então além de ter uma área de serviço bem servida, o quartinho da empregada que virou o armario reserva, ainda tinha mais um salão que na minha época de artesã, virou meu home-office.

Conclui que quanto maior a casa mais tralha você pode ter, por ter espaço de sobra... também conclui que essa mania de guardar tralha que está no sangue da maioria dos descendentes de japoneses, é devido a fome, motivo principal da imigração - tem um medo da falta latente no sangue e aí acumula-se comida, roupa, utensilios de cozinha: 'vai que falta" ou "motainai jogar isso fora né'- são pensamentos recorrentes da minha avó por exemplo.
Motainai - é traduzido como desperdicio...

Então, tendo que comprar tudo projetando pra caber em 58m2, deu uma dor de cabeça tremenda... fiquei sonhando desde que casei que trocaria a mesa da sala de jantar, pois mesmo morando com minha mãe eu adorava cozinhar par os amigos, que teria essa mesa extensivel da Tok & Stok - uma ideia ótima para quando receber visitas,não aconteceu e ficou pra quando tivesse minha casa - daí ficamos monitorando via internet o preço dela que sempre baixa nas liquidações sazonais, calculamos a medida... tudo direitinho - teoricamente ela caberia...






Teoricamente, pois com o projeto da cozinha com um balcão americano (que vai virar armario de mantimento pois de espaço na cozinha só tem armario em cima e embaixo da pia - tá bom, eu pedi uma casa pequena - mas tão pequena assim foi demais rs..)... matou o espaço util para as cadeiras...

A unica solução foi dar a mesa pra minha mãe, a dela esta pavorosa, mas também foi um recorde de utilização: 40 anos!
Sempre foi o sonho dela trocar a mesa, mas nunca dava, tinha outras prioridades, então, ideia perfeita!

Tentei de um tudo pra ficar com a mesa: mandar para o marceneiro cortar 10 cm de cada ponta, não colocar o balcão na cozinha (agora que a parede veio abaixo? E onde colocaria a comida?), anunciar no Mercado Livre... a melhor solução foiu mesmo doar pra minha mãe, que merece.

Ah sim, fica aqui meu protesto: a metragem de casas e apartamentos tem diminuido cada vez mais e as lojas de móveis mostram ambientes lindamente decorados com mesas pra lá de 1,5m é bem dificil encontrar uma peça bonita nas metragens atuais que tenho...

A única loja que tem noção disso é a Etna, que nos seus projetos de decoração mostra uma planta, a metragem e o ambiente decorado...

O dia que a mente travou e o corpo também foi essa semana indo em lojas de móveis... sempre consigo ter ideias quando vou nessas mega stores de moveis - mas eu travei, no sofá e no rack... fiquei tanto tempo ruminando o que seria feito com a mesa, até surtar por ela tornar o local claustrofobico sem boa circulação eu sutei... provavelmente xingaria a pobre linda mesa, pois se com espaço já saio batendo nos móveis, imagina sem?!
Outro problema é que não quero comprar uma coisa provisória, quero comprar pra não ter que trocar depois e gerar mais impactos ambientais.

Tenho comprado muita coisa pela internet, que nessa grande SP, o fato de você não precisar se locomover já é uma baita vantagem- o rack seria outa compra mas olhei todos os bons sites de móveis que costumo comprar... lhufas!
Preciso de férias, nem resenha de cosmético que amo fazer não tenho conseguido, faz um mês que estamos nessa maratona...

6 de maio de 2014

[Diário] Minimalismo - semana 3

Falar do que ando fazendo pra minimizar o consumo e destralhar a casa fica contraproducente, mesmo porque estou na ponte entre duas casa e até me mudar não tenho como falar da nova rotina.
É bem melhor falar de um assunto que já tenho um certo conhecimento - o mercado de orgânicos, graças a ele, um mundo de novas informações se abriu e amém, que isso iluminou minhas ideais para chegar na filosofia minimalista, estou engatinhando no destralhamento mas o consumo caiu drasticamente.

O que falo hoje é sobre o risco de extinção das abelhas - sem abelhas não há frutas, verduras, legumes, não há insumos orgânicos, não há óleos essenciais, ou seja nosso mundo cruelty free e com o mínimo de impactos ambientais está ameaçado, assim como o mundo da maioria das pessoas - como assim?
Essa foto da fanpage Ocuppy Monsanto demontra bem isso:


E na Revista Galileu mostra bem o real significado da extinção das abelhas, clica aqui.

Ok, e o que eu tenho a ver com isso?
TUDO! Percebe o tamanho do problema?Não haverá alimentos se continuarmos permitindo que 4 MILHÔES DE ABELHAS sejam mortas pelo uso indiscriminado de pesticida!
Então, eu sossegadamente e egoístiucamente pensando primeiro na minha saúde e no meu bolso, não ligava muito se tal cosmético tinha só um ou dois ingredientes orgânicos e o restante é só natural
(álias não tão egoísta assim pois deixo de poluir solo, lençóis freáticos e mares, não contaminando ou matando peixes quando vou a praia por exemplo, com protetor solar bomba-atomica, causador de cancer e mata-recife de corais.)

Hoje me deu um clique da importância dos orgânicos, muito além de questões de saúde: se você não usa pesticidas na agricultura você poupa as abelhas, o que mantém o ecossistema sustentável e em perfeito equilibrio.
Eu consumo hortaliças e afins, orgânicos sempre que possível e o bolso permite, minha projeção e sonho é toda a alimentação ser orgânica.
Frescura? Não olha só o tamanho do estrago dos pesticidas utilizados em lavouras de feijão, café e soja, publicados no G1 da Globo:


Veja o video da reportagem aqui.

E independente se você é vegetariano ou vegan, não tem como não ser responsável por isso, uma vez que você vai na feira, está contribuindo com a morte das abelhas, pois está consumindo produtos de uma máfia da indústria de pesticicidas e menor preço dos alimentos.. e não a apicultura não leva a morte em massa das abelhas...

Sim, eu concordo que o acesso aos produtos orgânicos ainda é para poucos, pela dificuldade de encontrar e pelo alto preço - mas estou falando com você que importa MAC e faz a festa na Sephora - não tem dinheiro para isso?
Até concordo que verduras e afins sejam mais dificeis mas pela internet é possivel comprar mantimentos - mas no Pão de açucar e algunas grandes redes já é possível encontrar produtos orgânicos.
A demanda de produtos orgânicos, assim como todo mercado só aumenta com o interesse de consumo, assim como baixar os preços.

E ainda, por que não, ao invés de comprar o hidratante badalado, compre um orgânico?  Diferente dos shampoos que muita gente tem dificuldade, o hidratante, o sabonete, o óleo de banho respondem imediatamente no 1.uso - além de serem cruelty free.

Acho que é possível incorporar um ou outro produto orgânico na rotina - um produto que não prejudique o meio ambiente e não use pesticidas já é um alivio nesse mar de poluição que vivemos hoje, esse bombardeio de pesticidas que envenenam pessoas, meio ambiente e animais só vai diminuir no dia em que grande parte das pessoas falarem NÃO!

Já publiquei um post sobre a morte das abelhas aqui, o que você pode fazer é pressionar o governo, apoiar as Ongs que estão atuando no setor, além de introduzir orgânicos na rotina e ainda diminuir o consumo - nisso se encaixa na filosofia minimalista e até seu guarda roupa entupido é responsável pela morte das abelhas, uma vez que a agricultura do algodão demanda um alto teor de pesticidas, além de gastar muita água - 1 camiseta gasta 2700 litros pra ser produzida, saiba mais aqui.

E também da pra viver sem o pacote de algodão mensal - que este além de gastar muita água, gasta cloro, que é extremamente poluente. Desde que entrei para os cosméticos orgânicos, meu tônico com válvula spray, meu demaquilante com toalhinha de tecido fez com que um pacote de algodão fosse usado só uns 10 discos em 3 anos...

Não é todo mundo que consegue manter uma horta mas plantar flores é possível para muita gente.
Exemplo disso é a bomba de sementes - idéia do site - coletivo verde, clica aqui.

A sobrivivência das abelhas depende sim das ações individuais de cada um, das nossas, escolhas, consuma consciente! Disso depende o destino da humanidade, se não for assim, o preço da feira será muito caro de manter- provavelmente haverá escassez destes alimentos e consequentemente a alta de preços, pensem nisso!
Em resumo o uso indiscriminado de pesticidas está provocando isso, então o consumo de orgânicos é um dos caminhos para a manutenção da vida!
E você o que pode fazer?


26 de abril de 2014

[Diário] Minimalismo - semana 2

(ou: da escolha de uma lavadora de roupas)
Essa semana foi bem tranquila em relação a compras, mesmo porque nossos olhos e bolsos estão concentrados na mudança.
A opção de morar com minha mãe a convite dela após casar trouxe uma dificuldade: eletromésticos maiores e essenciais que normalmente se ganham de presente de casamento foi desnecessário na época. Então precisamos comprar.


Pra mim minimalismo tem tudo a ver com questões ambientais e na hora de escolher uma lavadora, acabamos optando por um modelo lava e seca, não tanto pela secadora, pois gosto de secar as roupas no sol e um dos muitos motivos é para que a roupa pegue energias positivas vindas dele.

Tirando as questões energéticas, optamos por um modelo assim, por diminuir quase até a metade o consumo de água, recurso cada vez mais escasso e super necessário à manutenção da vida. Estamos de olho neste modelo aqui.
Além de claro, não faz sentido ligar a secadora se o sol já faz este serviço, mesmo porque economia de energia é outro modo de poupar recursos naturais, só devo usar quando estiver aquele frio insuportavel e a roupa demora três dias para secar.


nas compras no site da Aromalife! Clique e acesse!

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | free samples without surveys