Páginas

Mostrando postagens com marcador Nikkey Beauty. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Nikkey Beauty. Mostrar todas as postagens

13 de agosto de 2013

Contra o desperdício de alimentos

Os descendentes de japoneses aprenderam uma palavra desde cedo: MOTAINAI
Minha avó, minha mãe sempre dizia pra gente raspar o prato, pois senão era motainai = você está desperdiçando comida! Que feio!
Motainai na verdade é isso:desperdício, judiação jogar algo que ainda sirva pra uso.

Na real, senão me engano esse termo foi difundo durante a guerra, onde um grão de arroz era importante, uma folha de acelga contava, para não passar fome!

E cá estamos no Brasil que mesmo quando vamos a self-service, pagamos por aquela comida, mesmo que não caiba mais um mísero grão de arroz a gente sempre acaba raspando o prato, por já ser um comando cerebral.
Neste país que é o 4. produtor mundial de alimentos, 20% do que é servido em restaurantes, self service e afins acaba indo para o lixo.



Já houve gente dizendo que isso não vai matar a fome de quem precisa mesmo, mas vem cá - você acha realmente bonito essa montanha de comida indo para o lixo sem dó?
Ok, é o seu dinheiro que foi para o lixo num primeiro momento.

Mas é muito mais além, você desperdiçou toda uma cadeia de produção: o agricultor que emitiu carbono pra ir comprar as sementes, a água que serviu pra irrigar as plantações, a energia elétrica que serviu pra alimentar as irrigadeiras, mais emissão de carbono com tratores e todo o aparato agrícola e mais o dinheiro dos assalariados das  lavouras e o que paga toda essa cadeia...

... mais carbono para o produtor levar a colheita até os grandes centros, mais água e energia elétrica dos galpões das distribuidoras. Mais um pouco de carbono para o funcionário do restaurante ir buscar as hortaliças e legumes até o restaurante...

... no caso de um pedaço de bife: água (e muita! A pecuária é o setor que mais gasta água), energia elétrica para iluminar os abatedouros, emissão de carbono para levar os cortes ao frigorífico, energia elétrica pra manter a carne refrigerada... mais carbono pra ir buscar os cortes, mais água, energia elétrica e gás de cozinha, e o pior de tudo... você matou um bovino e sua vida foi desperdiçada no lixo...


... gasta-se mais água, energia elétrica e gás de cozinha cozinhando os alimentos, mais um tanto de energia elétrica na balança e na área de alimentação e chega até você que gasta um tantinho de água pra lavar as mãos antes de comer e sentar confortavelmente na cadeira...

... e mais um pouco de energia elétrica, mais emissão de carbono no caminhão de lixo... e fim.

Percebeu que o desperdício não é só da comida que você jogou no lixo?
Veja o vídeo e pense a respeito.
 
 

24 de julho de 2013

Nikkey Beauty | Papel Washi

No festival do Japão estava exposto para fins culturais diversas variações de papel Washi. Achei o máximo saber um pouco mais sobre ele, que a Sachi usa pra embalar suas criações preciosas, quase tão únicas quanto o papel.

Wa (japonês) e SHI (papel)
A palavra Washi  designa o papel feito a partir das fibras das plantas de três arbustos:Kozo, Gampi e Mitsumata.




No ocidente o conhecem como "papel de arroz"
washi é papel nobre e é considerado tesouro nacional do Japão - fiquei impressionada com isso! Imagina um sabonete embrulhado num papel considerado tesouro nacional?


clica que aumenta
Achei fascinante a variedade de cores e texturas que o washi pode ter, estes eu fiquei com os olhinhos brilhando! Alguns desses pareciam um verdadeiro véu de noiva de tão delicado e rico a estampa!
E servem para impressão também sem dever nada aos papéis convencionais, digo isso por ter recebido um folheto com maiores informações e contato da World Paper.



Além de embelezar criações como sabonetes, caixas, paredes, o uso mais nobre do Washi é com certeza ser o único adequado para restaurações!

Segue texto da Word Paper - representante exclusiva na América Latina dos papéis Washi importados do Japão e Estados Unidos:

Dentre os vários usos do Washi destaca-se a importância que ele exerce nos procedimentos de conservação e restauro de acervos históricos, principalmente de livros, documentos e obras de arte.

Quando pensamos em preservação de bens culturais ou mesmo de acervos familiares, não podemos pensar a curto prazo. Nosso alvo deve ser no mínimo 100 anos.

Portanto todos os materiais envolvidos no tratamento de conservação e restauro devem ser quimicamente estáveis resistentes. Chamamos estes materias de materiais de qualidade arquivistica.



Na América Latina não havia papéis de restauração de livros e obras de arte, estando as bibliotecas, mosteiros, museus, órgãos públicos e etc... com pilhas de livros raros  a serem restaurados e sem a possibilidade de faze-los uma vez que somente os papéis Washi servem para este fim pelas suas caracteristicas que são fibras longas e resistentes.

Para quem quiser saber mais sobre os papéis e onde encontrar -segue  site, clica aqui
 

20 de julho de 2013

Nikkey Beauty | Fatos de Fukushima

Essa tag existia no meu antigo blog, o Yummy Tips - englobava desde beleza até a cultura pois convenhamos, é uma cultura milenar e linda, baseada no respeito, humildade, gratidão entre muitas outras coisas.

Queria inaugurar essa  tag aqui no PBS com o lado bacana mesmo (e tem coisa bacana pra contar ainda...) do Festival do Japão que acontece todo ano em julho aqui em SP. Apesar de que relendo meu texto agora, é uma coisa linda se for parar pra pensar!

Bem... o que vou mostrar aqui é como imagens transmitem sim a energia daquele momento... do Tsunami que detonou Fukushima... teve um momento ali vendo os destroços que eu não aguentei, tive que sair dali pra não chorar....

Fui procurar marido que também estava vendo e encontrei em outro stand... daí contei disso e ele também disse que ficou com vontade de chorar e não aguentou.

Claro é triste ver tudo destruido, onde tudo era limpo e organizado ver destroços e tantas outras coisas que se aplicam na passagem de um Tsunami...

... mas foi emocionante ver os Imperadores reverenciando pessoas nos abrigos, a organização tão comentada pelos noticiário...

Mas o que quero deixar aqui são  duas coisas que percebi:


O milagre do pinheiro solitário:
Dentre 70 000 pés de pinheiro que foram plantados ao longo da costeira, milagrosamente este foi o único que resistiu.
(27 de março de 2011 - Cidade de Rikuzen Takata, Takata Matsubara)

O que percebi nisto:
Pra mim é o símbolo de que o Japão é um país forte, símbolo de resistência e sobrevivência, que por mais que tenha sobrado apenas um pinheiro, apenas um ginásio, apenas o número um em muitos aspectos... demonstrou força para se reerguer.



Com a primavera
Sakura (Flor de cerejeira) no santuário Kamo com vista para a cidade. No momento da invasão do Tsunami, muitos moradores subiram a escada salvando suas vidas. Flores ainda em flor vendo os escombros em muitos lugares, a tristeza ultrapassa os limites. Ver a cerejeira (hanami) trouxe várias lembranças aos moradores
(primavera de 2011, Cidade Ofunato)

O que eu percebi:
Sim é triste ver os escombros - mas as flores e o verde que restou, pra mim remete a VIDA, a beleza de se estar vivo...

Com tudo isso que pude ver, tenho que dizer: não dá pra desperdiçar a vida se lamentando, mimizando porque não pode comprar algo (já fiz muito isso, pois era muito consumista, depois de mudar para o lado verde da coisa pude perceber o impacto ambiental do meu consumo... mas aprendi que são apenas coisas que não valem queimar neurônio), brigando, sendo cabeça dura, deixando o ego dominar tudo e uma porção de outras coisas...
Essa vida é um presente que nos foi dado pra podermos evoluir, que possamos aprender com o que nos acontece e fazer diferente da próxima vez, e que sim, apesar da tragédia, existe o belo, que é a própria vida!

PS: pode ser visto como hipocrisia isso que conclui... masssssssssssssss minha vida foi uma novela mexicana até bem pouco tempo atrás, causos de família que trouxeram traumas desde criança e etc... só aprendi a ver dessa forma, depois de 5 anos de muito trabalho de auto conhecimento, seja em terapia ou seja em curso...
 

27 de março de 2013

O que fazer quando o salão que você ama é convencional?!

Então né... você encontra o salão perfeito, no meu caso um salão especialista em cortes orientais, o Chacok (Ex Aloxyu no Sogo Plaza shopping na Liberdade - contei no Yummy Tips, clica aqui.)
Foi o melhor salão para minha cabeleira pesada, volumosa, tipicamente oriental e que não, não é qualquer um que consegue fazer um bom corte em cabelos desse jeito.



Lá tem até revistas nipônicas  de modelos de cortes!
Ok, perfeito - conseguiram fazer o milagre de realmente mudar o visual do meu cabelo, que até em salões como o Soho, mesmo pedindo um corte mudança de visual, sempre saia com a mesma cara de cabelo volumoso e pesado que mais parecia um cocker... nhé...

Gosto de lá porque eu escolho uns três modelos de corte e eles falam na cara dura: seu cabelo não suporta esse tipo de corte! Ou então avaliam minunciosamente seus fios e dizem: dá pra fazer igual -weeeeeeee!

Daí você bonita e sem nenhuma quimica, resultado de alguns poucos anos usando só shampoo orgânico e henna - bate o desespero:
AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH! Vão usar shampoo com sulfato, condicionador com parafina e silicone e leave in - socorro!
(Use shampoo com sulfato pra não querer ver como fica uma palha depois de só usar orgânicos! Esse é o motivo do pânico!)


Como faz?! Leva os seus produtos! Simples assim! A grande maioria dos salões aceitam que os clientes levem seus próprios produtos, até tintura -não sei se henna aceitam... mas os de higiene e finalização sim.
(só um aparte: não sou fã incondicional dessa marca, levei estes porque estavam pra acabar, álias minha birra começou depois que descobri que o Argan oil da marca tem TRÊS SILICONES e é chamado de orgânico...e a dona da marca via Twitter disse que 'infelizmente o que dá maleabilidade aos fios é derivado do petróleo', tá aí a prova clica aqui. Quem lê o PBS e outros blogs naturais e orgânicos  sabe muito bem  que não é verdade, já os outros produtos de fato são orgânicos).

Álias, esse frasco menor era do tal 'Argan orgânico pero no mucho', reaproveitei a embalagem  e coloquei óleo de Pracaxi que é tido como um silicone natural, saiba mais aqui.  
(álias recomendo muito  guardar embalagens com pump porque são ótimas pra refilar óleos vegetais e sinergias, além de mandar um frasco a menos para a reciclagem - que também gasta energia elétrica e água tá... )

+ Acesse: Dicas e produtos para os cabelos

Então, fica a dica da próxima vez que for ao salão... e aqui tem provas de várias coisas:
- Os profissionais de lá entendem MUITO de cabelos orientais
- A henna super funciona, mesmo em mim que tenho cabelo castanho escuro quase preto, deixa reflexos avermelhados bem bonitos e eu adoro!)
- O óleo de Pracaxi deixa o cabelo lindo, espelhado e super macio, mesmo usando secador!
(farei a resenha da henna e do óleo de Pracaxi aguardem!)

clica que aumenta
E antes que digam que faço merchan do salão, não fui paga pra fazer propaganda dele, é que recebo tanto mas tanto email de meninas orientais pedindo o telefone (pra ver como é dificil encontrar um bom salão nesse segmento específico -álias recebi agradecimento de todos no salão porque depois do post o salão bombou! Muita gente chegou lá dizendo que viu num blog e blablablá- pra mim é super gratificante saber que fiz algo que ajudou muitas pessoas prosperarem).

Então segue o endereço e contato do salão de novo rs...
Salão Chacok 
Sogo Plaza shopping/ 4. andar - em frente a Ikezaki, Liberdade- SP
tels: (11) 3313-7591/3275-0653 



nas compras no site da Aromalife! Clique e acesse!

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | free samples without surveys