Páginas

Mostrando postagens com marcador Greenwashing. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Greenwashing. Mostrar todas as postagens

8 de janeiro de 2018

Lola serve pra quem foge de sintéticos?! Não!

Olha gente, este fim de ano e comecinho de 2018, houveram muitas mudanças internas que acabaram refletindo até aqui no blog. Eu até ia indicar os produtos da Lola que tem as fórmulas mais livres de química pra encontrar em farmácia/perfumaria, só que - se eu fizesse isso, estaria indo contra meus princípios, que motivaram a manter por tanto tempo sem remuneração.

Os motivos que me levaram a ter o blog foram:
- Não poluir o meio ambiente com minha rotina de beleza
- Não usar o que é potencialmente tóxico à saude, por isso o nome do blog

Enfim... isso foi até agora... mas entrou mais uma regra agora:
- Não incentivar o quebra galho em produtos que tenham uma ou outra química, pois assim estou dando aval, bandeira verde pra usar qualquer coisa- e assim desvalidar quem faz um trabalho sério de formular cosméticos sem sintéticos nocivos pra gente e pro planeta.

Um dia leitora disse que se sentiu enganada porque a marca é livre de Glúten, Sulfatos, Corantes Sintéticos, Ftalatos, Parafina, Silicone Insolúvel, Derivados de Animais, Parabenos, OGMs, Cloreto de Sódio, Óleo Mineral e que usa ativos naturais. enfim...
Eu que sou escolada, já sei que se uma marca promete isso não quer dizer que seja totalmente  natural, apenas que não tem estes ingredientes. Pra ser natural de verdade teria que estar escrito 100% natural.

Eu confesso que estava completamente alienada porque nunca mais entrei na perfumaria pra olhar rótulo, ia direto o que interessava, faz 5 anos que resolvo minha compra em 5 minutos, até porque Lola pra mim era convencional e ponto.
Até que li isso no site:



béeeeeeeeeeeeeeeee! Alerta de greenwash!

Até então, estava eu aqui no meu cantinho e a Lola lá no dela... mas disse que usa ingrediente orgânico nas fórmulas faz com que quem não saiba interpretar fórmula leve gato por lebre! Isso induz muito ao erro! Enfim...
(por isso que vivo batendo na tecla: aprenda a ler o rótulo! Eu fiz uma lista negra AQUI, é só comparar a lista com o rótulo, poxa!)

Lola não serve pra quem quer evitar sintéticos nocivos e ou/poluente! Ela usa muitos extratos vegetais de fato, mas tem uns sintéticos, vou te mostrar!
- POLYQUATERNIUM-7
(nota no EWG)

Possiovelmente tóxico e poluente ambiental

- BHT
(nota 4 no EWG)

Antioxidante, pode irritar os olhos como desregular o sistema endócrino. Foi banido em vários países de primeiro mundo, tanto em alimentos como pra cosméticos

- FRAGANCE/PARFUM:
(nota 8 no EWG)
É muito perigoso p/ o organismo porque este termo pode agregar até 5.000 substâncias tóxicas, e são irritações visiveis, como nos olhos, dermatites, ataques de rinite, dores de cabeça, enjoô no estômago, além de potenciais efeitos no aparelho reprodutivo é ecotóxico também.



- CETEARETH-25
(nota 3 no EWG)

Risco de absorção pelo organismo

- FRAGANCE/PARFUM


- BHT
(nota 4 no EWG)

Antioxidante, pode irritar os olhos como desregular o sistema endócrino. Foi banido em vários países de primeiro mundo, tanto em alimentos como pra cosméticos

- METHYLISOTHIAZOLINONE
(nota 7 no EWG)

É um conservante com grau de risco alto segundo o EWG, pode causar alergias. Estudos laboratoriais sobre células cerebrais de mamíferos também sugerem que a metilisotiazolinona pode ser neurotóxica, segundo o EWG.

Importante dizer que muitas marcas retiram os parabenos, deixam bem explicito que não tem os parabenos mas colocam um conservante com risco maior pra saúde, presta bem atenção que nem sempre sem parabenos significa mais seguro para a saúde.
Sem parabenos significa que é seguro?! Quase nunca! Leia este post AQUI

------------------------------------------
Preciso deixar claro que neste post não avalio o desempenho, aqui só avalio os ingredientes.
Na parte de ativos acho que a marca capricha nos extratos vegetais e pela conjunto de plantas dos produtos eu adoraria usar, só é uma pena que coloquem ainda tantos ingredientes sintéticos e possivelmente tóxicos.
Já que tem esse nível de excelência em fórmulas, mais um tanto de pesquisa conseguem chegar a fórmulas mais limpas, como a Multivegetal, que não é orgânica mas não usam sintéticos problemáticos.

E eu sei que tem gente que precisa comprar em farmácia e perfumaria por não ter condições de pagar o frete e querer pagar até por exemplo R$40. S
Sim,é uma opção mas esteja ciente que vai ter esses sintéticos na fórmula ok?! Avaliar todas as fórmulas fica inviável, mas acredito que com estas você tenha uma idéia do que  está comprando.


Se vocês gostam da marca, pressionem ela pra mudar, a formulação  - principalmente a fragância que muita gente chiou...

Já escrevemos pra Multivegetal sobre o phenoxietanol e eles substituiram... pra algo mudar, as consumidoras tem que querer e pedir!
E se você quer realmente usar produtos com fórmulas seguras e sem poluentes, veja nossa lista do que comprar AQUI

ps- janeiro é niver do blog, acompanha a fanpage que terão sorteios mara! Olha só o que a Beleza do  campo enviou! Clica aqui

14 de novembro de 2015

Linha de frutas da Surya não é orgânico


Fico muito triste de escrever esse post mas é a enésima leitora me dizendo ter comprado gato por lebre nessa linha de frutas da Surya.

Só pra constar: eu gosto muito da marca, meus posts AQUI sobre os produtos que usei são todos positivos, adorei a fórmula do esmalte, contei AQUI ...
...então que fique bem claro,  não estou fazendo protesto contra a empresa em si, que é uma linda, visitei a fábrica uns 4 anos atrás e gostei muito da postura, inclusive social.

E nessa visita questionei a linha de frutas, que tem este termo que induz a consumidora ao erro:

rótulo shampoo amla guaraná e melão
Estão vendo que está escrito: 'com óleo orgânico de laranja'?!
Acontece que muita gente lê  e acredita estar comprando um shampoo 100% orgânico e de acordo com as normativas das certificadoras.
Mas se analisarmos a fórmula, temos vários componentes grifados em vermelho que não podem estar em uma fórmula de produto orgânico certificado:

composição shampoo amla, guaraná e melão
Sulfato é o agente espumante/detergente, se formos ver pelo EWG tem nota 1, ou seja verde , mas além de ser dermoagressivo ele polui. Além disso é sintético, o que é proibido pelas certificadoras vide AQUI.

Parfum ou fragance, também é sintético e tem score 8 no EWG, uma das piores notas possíveis. Embora não tenha parabenos, usam um conservante pior: Methylchloroisothiazolinone, Methylisothiazolinone com nota 8 também, clica AQUI.

+ Sem parabenos signica que é seguro? Acesse aqui
+ Saiba quais ingredientes em cosméticos devem ser evitados - acesse aqui


Quanto ao óleo essencial de laranja citado no rótulo, de fato tem, grifado em verde água, é o último ingrediente ativo, depois temos acido citrico, um conservante alimentar e corantes  que são sintéticos, um deles com nota 3 no EWG.

Na rotulagem clássica, os ingredientes aparecem por ordem decrescente, se o óleo de laranja está lá no fim, tem muito pouco dele- algo como 0,5% para menos, além disso até na aromaterapia dá pra saber que se usa muito pouco numa fórmula.

 Os produtos da linha de frutas da Surya não são orgânicos! 

Infelizmente estes produtos  são o que podemos chamar de greenwash, quando  tenta passar a imagem de orgânico/ 100% natural, quando não é - saiba quais:

- Shampoo, condicionador e máscara de tratamento amla, guaraná, melão
- Shampoo, condicionador e máscara de tratamento laranja e andiroba
- Shampoo, condicionador e máscara de tratamento morango e buriti
- Shampoo, condicionador e máscara de tratamento maracujá e copaiba
- Shampoo, condicionador e máscara de tratamento coco e ucuuba
- Shampoo e condicionador Canela e cupuaçu

Mas amiga- agora deu nó nas ideias, você disse que os produtos da Surya são naturais / orgânicos, e agora?!
Disse e continuo dizendo, mas veja bem, neste post AQUI  deixei bem claro que somente as linhas Amazônia Preciosa AQUI, Sapiem Women e Sapiem men AQUI são orgânicos certificados pela Ecocert



A linha Color fixation apesar de não ser orgãnica, nós aqui do lado verde da força aceitamos usar, pois as fórmulas são tranquilas, sem ingredientes proibidos pelas certificadoras. Inclusive fiz resenha da máscara AQUI.

Enfim, não entendo essa postura da marca...
...quando estive na fábrica, disseram que reformulariam a linha Color Fixation: tinha uns sintéticos problemáticos, e fizeram: tiraram estes ingredientes.
Poderiam reformular ou ao menos deixar claro no rótulo que não se trata de produto orgânico.

+ Se você quer saber quais marcas realmente são orgânicas/100% naturais - clica aqui.
+ Se você quer saber que outras marcas parecem ser orgãnicas mas não são- clica aqui.

19 de julho de 2015

Parece mas não é - cosméticos que parecem orgânicos mas não são de fato

Tem muita marca que parece orgânica mas não é, pelos desserviços que a grande mídia fez o favor de publicar como já contei aqui na fanpage e aqui no blog, dizendo que tal produto é orgânico mas na verdade é greewash - saiba mais aqui.
Uma coisa que deve ficar bem claro pra você leitora é a classificação: todas estas marcas citadas fazem parte do que é chamado de cosmético natural: aquele que contém muito insumo botânico mas ainda usa sintéticos problemáticos, saiba mais sobre estas diferenças aqui


Para um produto ser chamado de orgânico, os requisitos são:
- Serem cruelty-free ou seja: não podem ser testados em animais
- Serem livres de sintéticos poluentes ou que trazem danos a saude: sulfatos, derirados de petróleo, silicones, não conter conservantes polêmicos como parabenos ou urea. Fragância sintética Saiba quais são os ingredientes aqui.
- Ter um selo certificando o produto: IBD no Brasil, Ecocert por aqui e mundo afora, a européia Soil association, a americana USDA.




Em comum,  as marcas citadas usam sulfato, que inicialmente foi criado para lavar graxa de oficina (?!?!?!), pode dar irritação na pele, provocando dermatites, caspa, oleosidade excessiva por efeito rebote - ele limpa tanto e tão agressivamente que remove até a oleosidade natural.
Além de ser péssimo para o meio ambiente: polui visivelmente - sabe aquela espuma branca horrorosa no rio Tietê vide aqui ?! Sim, o sulfato presente nos shampoos e sabonetes faz aquilo, além de prejudicar peixes, só por ter isso não pode ser considerado cosmético orgânico.


Também não tem selos das certificadoras orgânicas e tecnicamente nenhuma delas alegou serem orgânicas mas confundem as pessoas quando dizem que usam ingredientes naturais, extratos de plantas, óleos essenciais - que sim, elas usam mesmo.

Esta lista de cosméticos que parecem ser orgânicos mas não são tende a crescer com o tempo. Vocês podem colaborar também, nos dizendo as marcas que sabem não serem orgânicas ou naturais mas estão sendo vendidas ou anunciadas como.
  • Orgânica
A marca usa e propaga que seus produtos são puro vegetal, o que subentendesse junto com o nome que se trata de um produto orgânico. Ela também diz que não usa ingredientes artificiais mas ao ler o rótulo, dá pra identificar fragâncias e corantes artificiais, além de usar sulfato , triclosan e BHT - ingredientes proibidos em cosméticos orgânicos.
Saiba em detalhes aqui

  • Cris Dios
Se diz orgânica mas não é, tem silicones e derivados de petróleo em muitos produtos, falei aqui.
  • Loccitane
De inicio, já não pode ser considerada orgânica, porque testa em animais, segundo o PETA aqui, é bastante confundida porque usa muito extratos botânicos , óleos essenciais mas não exclui sulfato, entre outros.
Vide fórmula aqui

  • Yves Rocher
Amarca  francesa entrou no Brasil propagando usar ingredientes orgânicos. Incluir ingredientes orgânicos mas não excluir sulfato, não pode  ser chamado de cosmético orgânico
Vide fórmula aqui

  • The Body Shop
Na página brasileira, a marca fala sobre reduzir seu impacto negativo no meio ambiente, gerar menos resíduo, vide aqui. No entanto tem sulfato e também parabenos, vide aqui. Seu esfoliante facial aqui contém microesferas de polietileno que já contei aqui o estrago que faz nos mares...

  • Natura
Se olharmos a fórmula, um esfoliante da linha Ekos tem sulfato, vide aqui um esfoliante  da linha Todo dia tem microesferas de polietileno, vide aqui, ou seja cai no mesmo que a Body Shop - cadê a proteção ambiental?!

  • Vyvedas 
Prega utilizar ingredientes naturais, e de fato usa muito óleo essencial, óleos e manteigas vegetais, porém o sulfato está presente, assim como parabenos vide aqui e de shampoo 2 em1 infantil aqui, tem fragância sintética

  • Lush
Leitora pediu aqui pra ser incluida e com razão . A marca não testa em animais, alega que usa bastante ingrediente natural, muito óleo essencial e muitas vezes fresco e até dá pra achar alguns produtos 100% naturais, só que não tem certificação orgânica e precisa saber ler uma fórmula, pois muitos produtos tem sulfatos, parabenos e fragância sintética, vide shampoos aqui e aqui, hidratante aqui

  • Korres
No site brasileiro da marca, diz que usam extratos orgânicos e naturais e sem parabenos no entanto usam sulfato, e no lugar dos parabenos usam Imidazolidinyl uréia , que também tem seus riscos, vide este texto aqui, além de fragância sintética.

  • Arvensis
É uma marca tida como natural, no esquema da Natura- não tem certicação IBD ou Ecocert, o fato de utilizar ingredientes orgânicos não torna a fórmula toda 100% natural. Tem sulfato,silicones (Trimethicone/ Dimethiconol ) , BHT , Methylchloroisothiazolinone.
Vide fórmulas aqui.

  • Aesop
Embora não diga que é natural muito menos orgânica, vale postar aqui pois utiliza ingredientes a base de plantas, então pode confundir assim como a L'occitane, vide formulas aqui

  • Linha de frutas Surya
Sim, eu disse AQUI  que as  linhas Amazônia Preciosa , Sapiem Women e Sapiem men  são orgânicos certificados pela Ecocert. A linha Color fixation não é certificada mas tem fórmula segura.
Saiba quais são os produtos desta linha de frutas não servem para o lado verde da força AQUI

  • Feito Brasil 
A marca faz muito sucesso entre os veganos e prega o artesanal. Mais uma vez: cosmético vegano e cosmético orgânico não são sinônimos!
A Feito Brasil usa corantes artificiais e conservantes pesado como dmdm hydantoin, um liberador de formol com nota 7  no EWG, BHT, nota 4 - vide no site da marca, aba informações adicionais AQUI
  • Quintal
Pode confundir as consumidoras pela propostas dos ingredientes: Terra + Água +  Plantas medicinais. Sim, de fato ela usa mesmo, o grande porém é alegar que não usa parabenos, mas usa um substituto com maior risco, o dmdm hydantoin, presente neste hidratante AQUI. Então foi piorando, porque a marca anuncia seu Blemish Blur como  Livre de  silicones, EDTA, BHT, DmDm e parabenos e petrolatos, e não tem mesmo... até pensei em comprar na Sephora... mas vi no site e o que encontro?! Dimethicone - que é um silicone...  e vai piorando: homosalate  - nota 4 no EWG é um filtro solar químico, banido pelas certificadoras orgânicas, por ser disruptor hormonal..
O problema maior disso é a consumidora comprar pelo 'livres de', achando que está comprando um cosmético seguro e não ler a fórmula toda!


Importante: o post original é de 2015 porém estou sempre checando as informações destas marcas citadas... em 2017 ainda continuam a usar ingredientes problematicos

+ Quer saber quais são as marcas de cosméticos orgânicos realmente confiáveis? Clica aqui 
+ Se não sabe quais ingredientes não podem entrar em cosméticos 100% naturais e orgânicos, veja aqui
+ Cosmético sem parabenos significa que é seguro?! Nem sempre. Saiba mais aqui

21 de junho de 2014

Que matéria é esta, revista Elle?

Neste mês, a mídia impressa colocou em pauta os cosméticos orgânicos.A única que foi digna de aplausos, foi a Prana Yoga journal, clica aqui.
Leitora do blog comentou sobre a reportagem na revista Elle, edição de junho e vou rebater algumas afirmações da matéria, agradeço muito a Saraiva mega store que permite os clientes lerem as revistas sem a necessidade de comprar.
clica que aumenta

A Anvisa realmente não considera um cosmético orgânico e nem tem legislação sobre o setor ainda, o que infelizmente gera margem pra ser criado greenwashing e não há lei que caiba processar uma empresa que o faça.

A tricologista em questão não é a mais indicada no assunto, em mensagem no twitter disse que  infelizmente não dá pra abrir mão do silicone em produtos capilares, clica aqui - quando eu e todas as leitores de blogs de cosméticos orgânicos, sabemos que dá pra ser feliz abolindo silicones e derivados de petróleo em cosméticos capilares (e em todos os outros).

A marca dela é um dos exemplos mais graves de greenwashing, tanto que contatei o IBD - a certificadora nacional, e eles me responderam que os produtos desta marca não são certificados por ele, como diz o rótulo, muito menos é possível um cosmético ser chamado de orgânico com derivado de petróleo na composição, um ingrediente proibido por todas as certificadoras orgânicas no Brasil e no mundo - clica aqu, e tem outa fórmula aqui.

Ainda rebatendo o que a tricologista diz, que não é possível fazer um cosmético 100% limpo, só posso lamentar e discordar fortemente. O hidróxido de sódio, mais conhecido como soda caustica e que entra no processo de fabricação cold process de sabonetes e shampoos em barra, reage com os óleos vegetais e se trransforma em espuma, quando usamos um sabonete feito desta forma podemos dizer que se trata de um produto 100% natural.
Ou ainda usar saponificante de derivado natural como Sodium cocoate, presente nos shampoos da marca orgânica americana, 100% Pure - vide aqui



Sobre o custo da produção, como comentou a idealizadora da Est - também discordo fortemente, marcas como Herbia, Ikove e Cativa Natureza, conseguem produzir produtos excelentes, concordo que são mais caros do que um produto dito somente natural mas perfeitamente 'pagavel' digamos assim, nada tão absurdo.Por R$34,90 é possível comprar produtos Ikove, com certificação pela Ecocert - ou seja, ainda é mais barato do que Kerastase, que usa silicones e derivados de petróleo e saem na faixa de R$50.

clica que aumenta
A marca Est é tida como produto natural, tem insumos naturais mas  tem sulfato e outros ingredientes sintéticos, vide uma fórmula de shampoo aqui -não poderia estar em uma matéria sobre cosméticos orgânicos.Expliquei as classificações e variedades dos cosméticos com fórmulas naturais, clica aqui.



Por fim a revista traz alguns produtos, que eu e minhas leitoras discordam fortemente. Não estou desmerecendo nenhuma marca, apenas analisando a questão de ser orgânico ou não.

Vejam que os único produtos 100% naturais são da francesa Nuxe e da americana Josie Maran, na Sephora está vendendo e fui lá só pra espiar a fórmula - que são mais caros do que as opções de cosméticos orgânicos que temos por aqui | Davines e Alterna desconheço | Yves Rocher vi  a loja da marca e sei que tem sintéticos neles | Est ja comentei que se trata de produto natural, tem sintéticos inclusive sulfato e corantes | Bioextratus é produto convencional.

São produtos caros que não condizem com a realidade do mercado orgânico, foi um desserviço esta matéria, pois não levou em conta nenhuma das boas marcas orgânicas brasileiras, diria até uma falta de respeito ao trabalho duro dessas empresas. Além de induzir a consumidora ao erro, indicando produtos não orgânicos.

Agora minha pergunta que não quer calar- se chegaram a contatar a Surya para a matéria, por que não indicaram produtos da marca, orgânico de verdade e com preços melhores do que os citados na foto?
Eu tentei descobrir quem assinou a matéria e também o email da redação, na revista não tinha. Fiquei com vontade de rasgar a revista por causa dessa matéria, felizmente não sou leitora assídua.

Eu realmente não gosto de fazer críticas no blog mas esta matéria foi muito absurda, não pude deixar de rebater.
E se alguém ler alguma matéria que não concorda, envie pra mim, pra gente poder rebater. Não dá pra aceitar esse tipo de coisa num mercado sem regras claras, prejudica o movimento dos cosméticos orgânicos de verdade.

25 de maio de 2014

Produto natural/ Artesanal/ orgânico - você sabe a diferença?

Em tempos de greenwashing rolando solto, vamos ver se este post ajuda a descomplicar as coisas.
(também peço desculpas a leitora pela ausênia de resenhas - enquanto estiver no processo de mudança não estou conseguindo testar tudo do jeito que vocês gostam e merecem)
O que nós consumidoras de cosméticos orgânicos buscam, além de um nome  e certificação orgânica é a segurança da fórmula, ou seja não podem conter ingredientes tóxicos ou nocivos, como os citados na lista negra do blog, clica aqui e aqueles banidos pelas certificadoras: Ecocert, IBD, USDA, Soleil Association - além de sermos contra testes em animais.
Buscamos fórmulas com o maior número possível de ingredientes naturais - nisso não só as marcas orgânicas entram nas nossas escolhas, mas fórmulas limpas, como alguns produtos de marcas naturais e até artesanais, desde que sejam 100% naturais.


O que é um greenwashing?
Greenwashing é o conceito de 'máscara verde', quando uma marca se utiliza de marketing alegando ser um produto orgânico, quando não é.
Mais grave é que no Brasil não há lei que caiba processar uma marca por Greenwashing, pois o mercado orgânico não é regulementado constitucionalmente, somente aquelas que se submetem a instituição privada IBD, não estatal portanto não é constitucional.
Tecnicamente, somente marcas que se apoderam do conceito orgânico, usando o 'orgânico' no rótulo podem ser chamados de greenwashing.
Aqui no Brasil, um dos casos mais graves é a Cris Dios, clica aqui, por usar ingredientes que não são permitidos pelas certificadoras (vide aqui) e até por usar o selo de certificação orgânica indevidamente e a Éh e Petal Fresh, vide aqui- tecnicamente os produtos contém alguns ingredientes orgânicos mas tem fórmula de cosmético natural.

Cosmético natural?! Como assim?!
Aí que confunde mais ainda a cabeça do consumidor, um produto pode ser chamado de natural e pode ter algum ingrediente orgânico, como as marcas acima, a linha de frutas da Surya e os naturais de nascença, como Natura, Body Store, Vyvedas linha regular, Livealoe, Granado, Panizza, Multivegetal, Feito Brasil, Est, Bioextratus.
Tecnicamente, cosméticos com apenas 5% de ingredientes naturais podem ser chamados assim.

No entanto algumas fórmulas dentro deste conceito, são aceitas pela consumidora de cosméticos orgânicos, como é o caso da máscara Color Fixation da Surya - clica aqui, e produtos Biologicus  e Multivegetal, que mais uma vez, não são orgânicos mas tem fórmulas seguras, sem potencial nocivo, com alto percentual de insumos naturais.



Cosmético artesanal 100% natural
Marcas artesanais que usam técnicas como o cold process e hot process, que utilizam respectivamente soda caustica e potassa para o processo de saponificação e que usam somente insumos naturais são aceitos pelos consumidores de cosméticos orgânicos.
Neste nicho, entram Sachi, Sal da Terra Saboaria,Santo sabão, Ewé, Fefa Pimenta.


Cosmético orgânico
É aquele regulamentado por certificadoras, como Ecocert ou IBD no Brasil e no exterior USDA, Solil Association. Não contém ingredientes tóxicos, nocivos (vide aqui e aqui) ou poluentes, ingredientes de origem animal que provoquem a morte ou crueldade como também não podem ser testados em animais. Sob este prisma ganham o selo das respectivas certificadoras.
Precisam ter 95% de ingredientes naturais e orgânicos.
Nesta lista, das marcas nacionaiss entram Ikove, Herbia, Reserva Folio, Alva, Cativa Natureza, Surya linha orgânica, Vyvedas linha orgânica, Arte dos aromas linha orgânica

E agora? Como escolho?
Fator fundamental para que você não caia em greenwahing na escolha de cosméticos seguros e mais naturais possíveis é a interpretação da fórmula. Escolher cosméticos que não tem ingredientes desta lista aqui, os que tem escore seguros nos bancos de dados EWG e Good Guide, cosméticos desta lista aqui do blog, bem como os citados neste blog, no Tantas Plantas da Michelle e Mocinha Kawaii da Heglaé, que são blogs honestos e que eu confio plenamente.

16 de janeiro de 2013

Sobre o "boom" de marcas pseudo verdes

Ultimamente parece que virou moda marca se lançando ou lançando produtos auto intitulados de "naturais ou orgânicos"

Entendam uma coisa:
Para um cosmético ser considerado orgânico ele tem que ser no mínimo 98% natural, pra entender melhor- nome de planta vem em latim, nome de química é quase um palavrão impronunciavel exemplos:
- Rosmarinus officinalis (planta - nesse caso alecrim)
- COCAMIDOPROPYL BETAINE (quimica - nesse caso surfactante sintético)

Tem muito produto que tem três plantinhas, uma delas é orgânica, o restante da composição é pura química, daí ela escreve no rótulo natural ou orgânico e a pessoa que não sabe ler o rótulo vai lá e compra, crente do que viu no rótulo.
(E se você não sabe ler o rótulo, baixe aqui a lista negra das piores químicas encontradas em cosméticos)





Por isso saber identificar química é fundamental pra não cair em greenwashing!
Não adianta dizer que tem colheita sustentável, embalagens recicláveis, ativos naturais, ser cruelty free se de 18 ingredientes 3 são plantas e o restante é química e na maioria das vezes é tóxica.
É jogada de marketing das boas apelar para o lado verde dos produtos hoje em dia, é tendência ou moda usar o natural - mas só vale se for 98% natural para cima!

Ou seja, você compra uma idéia bonitinha, com plantinhas achando que está ajudando a natureza mas na verdade ao usar um produto assim você se polui e também polui o planeta já que os residuos do shampoo, como o lauril sulfato, forma aquela horrenda espuma no Rio Tietê (saiba que lauryl sulfato é classificado como detergente, e se você quiser saber mais sobre a espuma que invadiu o rio, leia aqui), IODOPROPYNYL BUTYLCARBAMATE é ecotóxico... ou seja é química que polui o meio ambiente...
Então onde fica o lado verde da coisa?!




 Foto de um trecho do rio Tietê na cidade de Pirapora do Bom Jesus-SP

E outra, se você perde o prazo de validade, você joga no lixo não apenas a embalagem que poderia ser reciclada, você joga fora um monte de porcarias tóxicas que podem contaminar o solo, cair em algum lençol freático que pode abastecer a região que você mora, um lago que agricultores usam para a irrigação, esse lençol freático, dá origem a uma nascente de rio que cai no mar e assim ajudar a poluir ainda mais...

Então pense muito bem antes de comprar qualquer coisa que esteja escrito natural ou orgânico, cheque a quantidade de quimica dele no verso. Procure por selos IBD, ECOCERT, USDA.
Não se deixe enganar por propaganda, escreva para o SAC pedindo a composição, veja a composição em lojas, tem muitas delas que fornecem...

Ajude a não propagar marcas que fazem greenwashing deslavado, boicote!



Cupom válido durante todo ano de 2018- acesse!

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | free samples without surveys