Páginas

Mostrando postagens com marcador EWG. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador EWG. Mostrar todas as postagens

28 de outubro de 2014

Dica da leitora | Escolhendo cosméticos e makes orgânicas

A Andrea está firme e forte no lado verde da força, ela já deu seu depoimento sobre controle da rosácea aqui e hoje conta como faz suas escolhas na hora da compra, achei ótimo pra quem está começando:






Decidi partilhar minhas experiências iniciais com os cosméticos orgânicos.
Sou nova no ramo (comecei em março deste ano). Resolvi mudar para “o lado verde da força” por recomendações médicas. Meu objetivo, portanto, é simplesmente ter mais saúde, tanto na parte de alimentos quanto na de cosméticos em geral.

Comecei minhas pesquisas com a ajuda deste médico, mas logo percebi que o que ele me passou não era suficiente. A solução de simplesmente não pintar o cabelo e não usar maquilagem não era suficiente para mim!
Com a ajuda do santo google e alguma paciência, cheguei a blogs muito interessantes. Fui guardando e catalogando tudo no meu computador. Entretanto, ao perceber quanto veneno existia em vários cosméticos que eu tanto amava e usava há anos, bateu um desespero. Devo parar de usar tudo? Jogo tudo fora? Nunca mais vou poder usar batom?

Passei uma semana sem usar quase nada, fiquei meio deprê. As pessoas estranhavam me ver sem make... Mas não desisti e continuei pesquisando, até achar este grupo e me enturmar com vocês.
Agora, depois de seis meses de muita pesquisa online e algumas compras de novos cosméticos, acho que posso compartilhar algumas dicas para iniciantes. Vamos lá:

1) Menos é mais. Você não precisa de 15 produtos para o cabelo, 10 hidratantes para o corpo e todas as cores do arco-íris na sua caixa de make. Quanto menos coisas, menos substâncias tóxicas. Mesmo os cosméticos orgânicos podem conter substâncias agressivas. Além disto, tudo perde a validade, e não tem sentido colecionar 50 cores diferentes de blush, quando na verdade eles ficam bem parecidos no seu rosto e acabam perdendo a validade antes que você consiga gastar um décimo do conteúdo.

2) Não jogue o que você tem no lixo! Procure, inicialmente, se desfazer daquilo que saiu da validade. Depois, examine o que sobrou. Nem todo cosmético tradicional é nocivo. Pesquise no EWG para ver a classificação do seu produto. Descarte apenas aquilo que, na sua opinião, é nocivo demais para usar até o fim.

3) Mas, como assim, EWG? Sim, pessoal. Não tem como se garantir postando a composição do produto aqui, ou perguntando se a marca X ou Y é boa. Esta é uma decisão que terá que ser tomada por você, usuário. O link acima ajuda a analisar todo e qualquer produto que você tem em casa ou pretende comprar. Eu, atualmente, não compro nada sem classificar antes. Mesmo porque, ainda que a marca se intitule “orgânica”, tem um ou outro produto com tranqueira. Além disto, a análise da classificação é muito pessoal. Para mim, se o produto tem chance de ser cancerígeno, ainda que em grau baixo, está excluído. Qualquer influência hormonal, na minha opinião, também é motivo para riscar o produto.

4) Sim, você vai ter que ler coisas em inglês e comprar pela internet. Não tem jeito. A coisa no Brasil ainda está muito no início, e os produtos não serão encontrados nas farmácias. Além disto, principalmente na área de maquilagem, não tem quase nada aqui. Prepare, portanto, seu cartão de crédito internacional se quiser usar maquilagem orgânica de qualidade.

5) A boa notícia, entretanto, é que existe tudo - TUDO MESMO – no ramo de cosméticos orgânicos. Base, primer, batom, sombra, até mesmo lojas que imitam os batons da MAC (amo!) e o blush Orgasm da NARS (como viver sem?).

Pitaco da Yumi: Veja como fazer seu relatório no EWG aqui

13 de abril de 2013

Saiba como funciona o EWG


O EWG - Enviroment Working Group é uma ong norte americana especializada em pesquisa de produtos químicos tóxicos, entre outras coisas. Neste blog, interessa a parte do Skin Deep que é um banco de dados com mais de 41 000 produtos cosméticos e cuidados pessoais cadastrados e também  de substâncias usadas em cosméticos. O site destina-se aos consumidores que querem pesquisar os produtos, obter o nível de toxicidade do mesmo e se assim quiser, optar por um alternativo.

Ele funciona de duas maneiras - buscando o produto em si ou pesquisando sobre algo não existente lá. Tendo posse da composição, você cria seu próprio relatório : nestes dois casos obtém- se uma nota que varia de 0 a 10, observe o gráfico:


 - notinhas verdes de 0 a 2: super seguro, use sem problemas
- notinhas amarelas de 3 a 6: alguns componentes não muito saudáveis, use com moderação
- notinhas vermelhas de 7 a 10: se fosse você jogaria fora imediatamente, muito provável ter acúmulo de tóxicos e muitas vezes cancerigenos (!!!!!!)

 O sistema cria uma média aritmética, considerando ingredientes inócuos como água - nota 0, mais plantinhas que variam entre 2 e 3 e até as substâncias punk como parabenos. Se a nota final for entre 7 e 10 -vermelha, significa encrenca (ou não, dependendo do seu ponto de vista).
No Projeto Beleza Saudável tem uma lista dos principais componentes tóxicos que é melhor evitar e que dão alta pontuação no sistema - clique aqui.

Daí você me diz: "Ah mas, são produtos em circulação nos EUA".
 Ok - mas e aqueles produtinhos que importamos?! Provavelmente tem lá. E também os produtos das multinacionais que chegam aqui. Por exemplo shampoo Johnson's Baby - versão amarelinha que muita gente usa em pincéis, recebeu nota 4 no sistema - clique aqui.
 4 significa moderado e para um shampoo de bebê, deveria ter nota verde oras! Os bebês já vão acumulando toxinas (ou seja, você eu e todo mundo que nasceu na era pré cosméticos orgânicos rs...)  como o Quaternium 15= sal de amônio quaternário utilizado como conservante.
 Sobre quantidade mínima de segurança e blablablá whiskas sachê, fica pra outro post - senão vira quilométrico.

Então tá, e como faz com os produtos nacionais?! Não faz?!
Faz mulher... como disse, também tem a opção de fazer seu próprio relatório, desde que você tenha a lista de ingredientes, que deveria constar no site de qualquer marca- na grande maioria das vezes, até pra cosméticos orgânicos nacionais eu tenho que digitar lá, lendo do rótulo... (o que é um problema pra muita gente interessada em saber qual é a do produto... ou talvez ter que levar ao dermatologista pra ver se você pode usar), se tem no site, só dar um CTRL+C  e CTRL+V
Isto é: se você quiser né...

Ok, quero saber como faz...
Então tá... mas deixo pra Heglaé do Mocinha Kawaii te explicar, pois ela fez um tutorial mais que perfeito, onde aprendi a criar meus relatórios, visita ela - clique aqui.
Já aviso que  não é a cartilha do mundo dos cosméticos, é um parâmetro. As vezes um produto 98% natural que deveria receber nota verdinha, sobe a pontuação por ter fragância por exemplo - nesse mundo, isso é o pior dos componentes pois ninguém nunca sabe o que tem, dentre 5000 substâncias que podem compor, e não há legislação que obrigue a dizer como fazem o cheiro do Love Spell  da VS por exemplo.

Só pra dar um exemplo pessoal, um hidratante da Korres (falei aqui) que tem toda a política de retirar os componentes mais tóxicos recebeu nota 5,clica aqui,- imagine um que não tenha retirado  os parabenos, óleos minerais e afins (aka hidratante Garnier).

Por outro lado, um relatório de shampoo orgânico 100% natural  (<- espia) recebeu nota 1 -clica aqui.
E se querem saber, nunca meu cabelo foi tão feliz como agora que recebe carga mínima de química e consegue absorver muito melhor os ingredientes naturais...
Atualmente só compro produtos com nota 5 para menos.

Enfim, esse é o ponto de partida, meio chato e muito longo - mas pode ser uma boa pra você que quer saber o que sua pele anda absorvendo.  Pra mim, isso é questão de saúde...

Você pode querer ler:
Testando o APS Good Guide
Conhecendo o banco de dados Good Guide


Cupom válido durante todo ano de 2018- acesse!

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | free samples without surveys