Páginas

Mostrando postagens com marcador Caminho das Indias. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Caminho das Indias. Mostrar todas as postagens

11 de março de 2014

Receita | Banana frita com massala

Essa é a coisa mais fácil do mundo!
Bom para uma sobremesa rápida ou no meu caso, quando a larica por doce me ataca rs...


Você precisa de:
- Uma frigideira
- Óleo de coco
- uma banana
- Kashmir massala ou canela em pó
- Mel ou agave para adoçar

Modo de fazer:
- Frite a banana até ficar douradinha (uma marca marrom indica o tempo certo) que leva cerca de dois minutos
- Coloque num prato, polvilhe a massala e jogue um fio de mel ou agave pra adoçar

Mais fácil que isso não tem... o ponto alto aqui é o festival de cheiros: óleo de coco fritando é muito gostoso e só ele já mata um pouco a vontade de comer doce, a massala espalha seu perfume por toda a cozinha e fica uma locura de bom!
Essa é a Kashmir massala que tem canela, cardamomo, cravo, Kummel, Macis (que não sei exatamente o que seja mas são temperos indianos) e pimenta do reino, é interessante como fica docinha com um leve toque ardidinho.
Essa eu comprei no Maha Mantra,o restaurante orgânico e indiano que costumo frequentar mas tem o site, clica aqui.  Ou na Aromalife aqui
Agave orgânico eu compro na Natue, clica aqui

Claro que você pode facilitar e fritar com algum outro óleo, usar só a canela e não adoçar... mas daí você perde o festival de cheiros e sabores que só uma boa massala indiana pode ter...

Independente da forma que fizer, fica bom do mesmo jeito! Bom apetite!

5 de agosto de 2013

Caminho das Indias | ABCD - Any body can dance

Existem filmes que realmente mexem com a gente... ...quando marido contou deste eu não dei muita bola - ABCD, eu hein que título mais bobo...

Então fomos ver... e vou te dizer que além das lições de moral que todo filme indiano sempre tem, esse deu um efeito catártico em nós...


O enredo se trata de dois amigos:
Jehangir e Vishnu - Jehangir é o gerente da escola de dança JDC e Vishnu é o professor desta escola vencedora do maior concurso de dança da Índia.
Jehangir quer o sucesso e conquistar a vitória a qualquer preço, Vishnu segue seu coração como professor de dança e não concorda a forma como ganharam o concurso.

Então se desentendem e Vishnu se demite...  .... perdido e sem saber o que fazer, conta com o grande (enorme mesmo! literalmente...) apoio de Gopi, que o leva ao festival Ganpati Chaturthi (explico depois) no qual Vishnu tem uma epifania (ah... veja o que é isso aqui) - de voltar a ensinar para jovens da periferia em baixas condições de renda.

Consegue reunir duas gangues rivais, conciliar as duas e treiná-los para o concurso de dança, para provar a estes jovens que eles podem sim realizar seus sonhos, que podiam chegar longe... e estes jovens só queriam ser vistos, incluídos na sociedade - eram incompreendidos e baderneiros mas ao se encontrarem na dança puderam provar o seu melhor.

Imprevistos e tragédias acontecem... foram, vítimas de trapaça por Jehangir - que continua jogando sujo mas sim, apesar de tudo eles conseguem chegar até as finais e vencer o concurso.



É bonito ver o popular da Índia, a periferia, o colorido do festival do povo... em diversas passagens você sente a alma, a expressão mesmo dos artistas.
Quero deixar aqui três vídeos:
- Vishnu mostrando por que é professor nato, tem a dança no coração:





- A expressão corporal e demonstração de tristeza após uma tragédia:
(impossível não chorar com o contexto)



- E o final apoteótico e catártico tanto para Jehangir que relembrou da amizade com Vishnu:
(veja em alto e bom som para ver se isso não te dá uma catarse, mexe com você)


Ganpati Chaturthi é o festival onde eles agradecem e pedem todo ano pela volta de Ganesh (Ganpatti Bappa Moria na música) - Ganesh, o Senhor dos obstáculos, tanto de ordem material e espiritual Ele é popularmente venerado como um removedor de obstáculos, embora tradicionalmente também coloca obstáculos no caminho daqueles que precisam ser verificados. Também dá novos começos. Foi isso que eles representaram no palco com a dança.

E esta música pra mim teve um significado todo especial para mim em um dado momento no curso de auto-conhecimento: venci obstáculos, me superei e aquilo tudo significou um novo começo. Tive a honra da coacher me conceder ouvir esta música no exercício.

Enfim, esta é a minha visão poética do filme que foi o primeiro filme indiano em 3D e lançado senão me engano em maio deste ano , ele é todo baseado na dança e nas lições de moral que tanto a vida como um professor possa ensinar, para saber mais sobre ele clica aqui.

O filme pode ser baixado mas só há legenda disponível em inglês - e eu aiunda espero que o Brasil se toque de trazer preciosidades como esta para fazer parte de nossas vidas.

Quem puder ver, vale a pena!

 

31 de março de 2013

Caminho das Indias | Sri Prem Baba

Atualmente não tenho uma religião que posso dizer que sigo e frequento, o que faço é trabalhar o auto-conhecimento e a espiritualidade.
Fui batizada católica, casei em uma cerimônia budista realizada por um oficiante  da Seichô-no-Iê (tá curiosa?! Leia lá no Yummy Tips - clica aqui), segui e sigo os ensinamentos da Seichô-no-Iê, tomo passe em centro espirita kardecista, tenho como guia espiritual nada menos que Kuan Yin (uma dos sete mestres ascencionados) e fui parar num curso de auto-conhecimento e Constelação familiar sistêmica, cuja coacher tem como guru o Prem Baba (inclusive ela está com ele lá na Índia em mais um retiro de auto conhecimento...). Logo, posso dizer que sou discipula indireta de Prem Baba.

Sim, sou eclética - e antes que digam que é errado fazer essa miscelânia, te digo que mais errado é julgar, e como o próprio Jesus diz na Bíblia:'Por que é que você olha o cisco que está no olho do seu irmão e não vê o pedaço de madeira que está no seu próprio olho'

Enfim, hoje é Páscoa e claro, todos lembram do sofrimento ,crucificação  e Ressureição de Cristo... mas acho que mais importante do que comer bacalhau e ganhar ovos de chocolate superfaturados é se lembrar de seus ensinamentos.


E de certa forma Janderson Fernandes de Oliveira, um paulistano -ensina a espiritualidade e a religação (religião em latim = religare) com a espiritualidade. Independente de ser Sidarta Gautama - mais conhecido como Buda, Jesus Cristo, Dalai Lama... ou mesmo Prem Baba, o mais importante é essa religação com a espiritualidade que todos estes homens iluminados passam para a humanidade.

Janderson com aproximadamente 14 anos de idade, começou a praticar Yoga e buscava técnicas de desenvolvimento dos poderes da mente.

Nessa época, ele ouviu pela primeira vez um bhajan (canção devocional em sânscrito) indiano em louvor à Sita e Ram. Aquelas palavras ecoaram profundamente até que uma voz interior lhe disse: “Quando você completar 33 anos vá para Rishikesh, na Índia.

Se formou em psicologia, passou por várias religiões desde o Catolicismo, o Evangelismo, o Budismo e o Kardecismo, entre muitas outras, até a Umbanda e o Candomblé.

Mais tarde, buscou autoconhecimento através das terapias de Buda , do mestre indiano Osho e acabou se transformando num facilitador desse trabalho. Em seguida, fundou o Corpo e Consciência – Centro de Terapias e Meditação, onde oferecia grupos de estudo do Pathwork , terapia primal, renascimento, sessões de terapia individual, etc.

Com tudo isso, Janderson se tornou um professor espiritual que orientava centenas de pessoas e tinha vários seguidores. Porém,  carregava a angústia causada pela consciência da hipocrisia de estar transmitindo um conhecimento emprestado. Como alguém que não se iluminou poderia falar sobre iluminação? Ele sabia que era apenas mais um cego guiando muitos outros cegos.

Seu sofrimento foi crescendo na medida em que suas tentativas de encontrar respostas eram frustradas, pois não tinha um mestre vivo para orientá-lo. Quando estava perto do ápice da sua crise existencial, recebeu, através da graça, um presente: A visão de um velho de longas barbas brancas, nos Himalayas que dizia assim: “Ao fazer 33 anos, venha para a Índia, para Rishikesh.” Imediatamente ele relembrou da mensagem que havia recebido quando era adolescente.

Nessa época, Janderson estava noivo. Então, decidiu casar-se e passar a lua de mel na Índia. Lá, fez turismo e visitou mestres iluminados, mas não sentiu absolutamente nada. No caminho em direção a Rishikesh, conta que foi envolto por uma luz clara que lhe trouxe uma canção e muita paz. Isso fez sentir que estava no caminho certo.

Passou por vários iluminados, mestres indianos e gurus.Conta que, durante uma profunda meditação na qual sentia estar indo de encontro a Jesus Cristo, ao abrir os olhos, viu um indiano de cabelos black power, vestindo uma túnica laranja. Ficou impressionado, pois não tinha nenhuma conexão com esse mestre até então.

 A partir desse dia, Prem Baba passou ter muitas visões com Sai Baba e compreendeu que se tratava de um chamado para visitá-lo. Então, ao chegar no ashram de Sai Baba , foi tomado por uma intensa experiência mística e conectou seu coração com o dele. Passou a visitá-lo todos os anos.
Em todas as suas visitas, Sai Baba o abençoava: em meio a dezenas de milhares de pessoas, ele parava na sua frente e acenava com a mão direita para abençoá-lo. Prem Baba o reverencia e agradece por ter recebido muita inspiração para a criação do método chamado “Caminho do Coração” e também do “ABC da Espiritualidade.

"As pessoas vinham para o retiro espiritual ainda com muitas questões ligadas à criança ferida e eu tinha que transformar o retiro num trabalho de cura. Eu vi que os processos terapêuticos que estávamos oferecendo não estavam sendo suficientes. Faltava algo prático que ajudasse o buscador a lidar com os sentimentos reprimidos e auxiliasse na purificação e ajudasse no trabalho de ativação de consciência maior"
 Foi quando surgiu inspiração de fazer o ABC da Espiritualidade, uma das principais ferramentas d´O Caminho do Coração; um trabalho de purificação e transformação do ‘eu’ inferior”


A flor do dia- postada diariamente no Facebook, que é um trecho de um Satsang que significa proximidade estreita com a verdade
Foi durante um famoso festival hindu, o Mahashivaratri- em 2002, que Janderson se tornou Prem Baba e a sua busca se completou. Todos os anos, seus devotos fazem uma comemoração durante este dia.
Sri Prem Baba significa “encarnação do amor divino”.

Em 2010, foi construído o Yoga Hall, onde Prem Baba atualmente recebe centenas de pessoas diariamente para seus satsangs.

O sítio em Nazaré Paulista (São Paulo, Brasil), onde Prem Baba oferecia retiros espirituais entre outros trabalhos terapêuticos, transformou-se no Sachcha Mission Ashram.
Hoje Prem Baba vive em São Paulo, mas realiza seu trabalho em diversos lugares do mundo onde tem muitos devotos. Seus principais sanghas (grupos de estudantes) estão na Argentina, Hawai, Estados Unidos, Espanha, Holanda, entre outros.

------------------------------
Enfim, eu ainda devo estar no primário da espiritualidade, perto da minha coacher/sensei e há anos luz da iluminação de Prem Baba - mas estou neste caminho, e se hoje sou uma pessoa melhor do que era há dois anos atrás quando caí de páraquedas no curso de Constelação, foi graças a força espiritual e sabedoria que minha coacher tem e essa sabedoria veio de vários mestres (não muito diferente do Prem Baba)  mas com certeza a maior influência sem dúvida é do Sri Prem Baba.

É claro que ainda tenho meus defeitos, ainda preciso olhar para muitas coisas do meu sistema familiar, curar algumas dores de infância, se já estivesse em um alto grau  com certeza já estaria tocando harpa numa nuvem rs...este é um processo e cada um está em um degrau dessa escalada e não tem nada de errado nisso...

Mas sem dúvida, mesmo não sendo díscipula direta de Prem Baba, a Flor do dia me ajuda muito, tem vezes que a verdade contida ali reverbera tão forte em mim que fico pasma... até já cheguei a quebrar um copo de tão pasma que fiquei com a mensagem.
Tem dias que a Flor do dia diz exatamente aquilo que estava precisando ouvir/enxergar. Álias a flor do dia é a primeira coisa que vejo quando acordo e tomo um copo d'agua em jejum e abro o Facebook rs...

No site do Prem Baba tem os satsangs completos -clica aqui.
Se você se interessou e quer ler a Flor do dia, postada diarimente no Facebook, clica aqui.

Você pode querer ler:
Sobre Khrisna Das
Um homem chamado amor
(entrevista com Prem Baba no site Jornal de hoje)

   Observação:   
Caso você esteja acessando o blog via tablet ou celular, é necessário usar a 'visualização versão web' para que seu comentário seja postado via Disqus e assim respondido.

27 de fevereiro de 2013

We shall overcome - Hey nós vamos vencer

We Shall Overcome foi um hino que marcou protestos no mundo todo, começando pelo  Movimento dos Direitos Afro-americanos entre 1955 a 1968. Desde então, a música foi interpretada por vários cantores, inclusive Bruce Springsteen.

Foi traduzido para diversos idiomas, inclusive em hindu.

Eu não conhecia a música até ver o filme My name is Khan, um filme de Bollywood que trata de preconceito,superação amor, ódio racial...
 onde foi tocada com maestria enquanto o personagem Rizvan Khan- um autista que supera todas as dificuldades, fala de seu filho adotivo de onze anos morto em um crime racial na época do atentado de 11/9 - num culto de Igreja Gospel,enquanto sua mulher faz uma espécie de culto ao mesmo tempo que protesta os seis meses de impunidade do crime.

Pra quem vê o filme inteiro, nessa parte desata a chorar (oi?!) - mesmo assim é lindo e comovente de ouvir o inicio da música em versão gospel e logo mais a junção com a versão hindu. E de todas as versões que encontrei no You Tube- essa com certeza é uma das mais bonitas, toca a alma sabe?!





E hoje eu escolho esta música  como um protesto mas também pra me mandar mensagens de que sim hei de vencer as atuais dificuldades:

Hey nós vamos vencer, nós vamos vencer
Que nós vamos vencer um dia
Querida aqui em meu coração, sim eu realmente creio
Que nós vamos vencer um dia

Bem, andaremos de maos dadas, andaremos de maos dadas
Que nós andaremos de maos dadas um dia
Querida aqui em meu coração, sim eu realmente creio
Que nós andaremos de maos dadas um dia

Bem, viveremos em paz, viveremos em paz
Que viveremos em paz um dia
Querida aqui em meu coração, sim eu realmente creio
Que viveremos em paz um dia

Bem, não estamos com medo, nao estamos com medo
Que nós vamos vencer um dia
Sim bem aqui em meu coração, eu tenho fé
Que nós vamos vencer um dia

Você pode querer ler também:
No DVD- My name is Khan 

   Observação:   
Caso você esteja acessando o blog via tablet ou celular, é necessário usar a 'visualização versão web' para que seu comentário seja postado via Disqus e assim respondido.


18 de janeiro de 2013

No DVD | My name is Khan

Brasil é péssimo  pra valorizar as boas produções mundiais, incluso os bons filmes de Bollywood, (quem passa por aqui sabe que eu adoro a cultura e tenho tido aprendizados valiosos). E eu realmente gostaria muito que mais filmes indianos viessem para o Brasil porque eles realmente são ótimos, nos mostram outros valores e perspectivas.

Eu achei a atuação de Sharuk Khan (Jack Chan está para a China assim como Sharuk Khan está para a India - uma super celebridade!), extremamente perfeita - no filme My name is Khan, que ao contrário do que eu pensava não é a autobiografia dele, rs...

Para baixar só tem legenda disponível em inglês, até ontem quando vi pela 5. vez  (e chorei de novo, e se o ver cem vezes com certeza chorarei!) e consegui uma legenda em português- milagre!  Este foi o filme mais caro de Bollywood em 2010 -USD18,2 milhões. E visto em vários países do mundo, exceto no Brasil é claro...

Um resumo do filme é a vida pós atentado no World Trade center - muitos indianos muçulmanos começaram a sofrer ataques e só piorou o preconceito e os crimes raciais após o 09/11.
Sobre uma deficiência física e como ela pode ser transformada em algo especial, em como ver a alma das pessoas e não uma aparente deficiência consegue superar barreiras.... e como uma pessoa pode mudar as coisas se assim ela o quiser.


Bem, além da atuação impressionante de Sharuk Khan no papel de Rizvan Khan - um autista, a história é realmente comovente.
Quando criança ganha toda a atenção de sua mãe pelo autismo, gerando ciumes e revolta no irmão mais novo Zakir. Mesmo com todo os problemas que o autismo traz Rizvan é extremamente inteligente, quase um gênio que pode consertar quase tudo e uma incrível capacidade de memorização e aprendizado.

Na Índia, como dito antes existem muitas pessoas muçulmanas e o sobrenome Khan é desta origem.

Zakir na idade da faculdade parte para os EUA, se forma e administra uma empresa de cosméticos indianos naturais (eu quero!). É casada com a psicológa  Haseena.

Quando a mãe deles morre, Rizvan se vê obrigado a ir para os EUA  morar com o irmão em São Francisco.
Haseena diagnostica Rizvan com sindrome de Aspergar- o que o torna um inconveniente social, já que fala a verdade nua e crua sempre. Inclusive sobre os cosméticos que revende (sim eu queria um vendedor de cosméticos assim também rs...).

Entre suas vendas, entra em um salão de cabeleiros com nome hindu e conhece Mandira - uma cabeleireira (mulher divorciada hindu e com um filho -Sameer). com quem se casa em meados de 2007 e não tem aprovação do irmão por ela ser hindu e ele muçulmano. E os três se mudam para uma pequena cidade do interior com 30.000 habitantes.
No entanto para Rizvan só existem dois tipos de pessoas no mundo - as boas e as más. Em certos momentos, lembra Forest Gump com sua inocência e grande coração.

Mandira adota o sobrenome tipicamente islâmico do marido, Khan. Então começam  os ataques do 11 de Setembro e os muçulmanos começam a ser olhados com desconfiança - E aí começam os problemas
Seu salão novo -chamado "Mandira Khan",fica deserto e assim ela é obrigada a procurar trabalho em outro salão.



infelizmente o trailler oficial só existe em inglês....


O melhor amigo do casal-  Mark, como jornalista foi enviado ao Afeganistão para cobrir a guerra, onde é morto. O filho deste- Reese, colega de Sameer e antes do ocorrido,seu melhor amigo, começa a ignorá-lo  e fazer  bullying na escola. Quando Saamer tenta falar com Reese, acabam brigando e atraindo um grupo de estudantes que intimidam Saamer, ameaçam e começam a bater e assediar - o que termina com um ataque fatal no campo de futebol, onde acaba morrendo. Vítima de ataque preconceituoso.Os garotos que mataram Saamer intimidam Reese a não contar nada.

Haseena- cunhada de Rizvan e professora universitária, é atacada nos corredores da faculdade, por um anônimo  que passa por trás e a arranca seu lenço da cabeça, gritando:"get out of my country!"

Mandira surta com a dor da perda do filho e culpa Khan por ter surgido nas suas vidas. Num acesso de raiva, pergunta a Rizvan se ele é capaz de explicar às pessoas e ao Presidente dos EUA que ser muçulmano não significa ser terrorista. E o manda embora.
Rizvan, como leva tudo ao pé da letra pela sindrome de Aspergar vai atrás do presidente para dizer ao Presidente Bush: "O meu nome é Khan e eu não sou terrorista".

Enquanto isso, Mandira faz campanha para descobrir quem matou seu filho.

No trajeto, ele é detido no aeroporto, depois de uma denúncia de outra passageira na fila de embarque. Como perdeu o vôo pelo interrogatório pega um ônibus que o leva á Georgia
Ele viaja para Wilhemina, Geórgia e se torna amigo de Mama Jenny e seu filho Joel. Mais tarde, em Los Angeles, reza em uma mesquita e ouve o discurso  violenta de Faisal. Telefona para o FBI mas não houve resposta no momento.
Mais tarde, enquanto espera em uma multidão para encontrar com o presidente Bush e repetir diversas vezes: "Meu nome é Khan e eu não sou um terrorista", Rizwan é preso e colocado em uma prisão, que interpretam mal sua declaração.

Na prisão, ele é interrogado como suspeito de terrorismo e se encontra com o psiquiatra Radha, que acredita em sua inocência. Mais tarde ele é liberto, após uma campanha de mídia por dois estudantes indianos repórteres e Ahuja Bobby - de uma grande emissora, que prova sua inocência pela suas tentativas de informar o FBI sobre Faisal. Após a liberdade, ele vê na TV sobre o furacão que atingiu Wilhemina para ajudar Mama Jenny e seu filho. Seus esforços atraem a atenção da mídia e inúmeros muçulmanos  vem para ajudar, inclusive seu irmão e sua cunhada. O que atrai os mesmos jornalistas que o ajudaram a sair da prisão.

 Ao mesmo tempo,  Reese confessa Mandira e revela as identidades da quadrilha que matou Sam. Ela informa o policial, que tem acompanhado o caso, e prende a gangue.
Logo depois  Mandira  recebe uma ligação de Sarah (mãe de Reese e esposa de Mark) pedindo para perdoar Rizwan, "Eu perdi meu marido pelo ódio, não perca o seu também."

Mandira percebe seu erro,  se junta Rizwan na Geórgia, e reacende seu amor. No entanto, no momento em que ela chega, Rizwan é esfaqueado por um dos seguidores de Faisal , que o acusa de ser um traidor do Islã, e gravemente ferido, Rizwan é levado às pressas para o hospital. Com a ajuda de Mandira, Rizwan sobrevive e encontra o presidente recém eleito Barack Obama - que lhe diz: "Seu nome é Khan e você não é um terrorista." O filme termina com Rizwan e Mandira voltando para casa.

Se alguém tiver a oportunidade de asistir vale a pena, um belo aprendizado para a vida.

   Observação:   
Caso você esteja acessando o blog via tablet ou celular, é necessário usar a 'visualização versão web' para que seu comentário seja postado via Disqus e assim respondido.



7 de dezembro de 2012

Caminho das Indias | Khrisna Das

Faz um tempão que não posto essa tag aqui, talvez por já estar pelo menos uma vez por mês com um pedacinho da India - minha mestra do curso de autoconhecimento, que faz retiros de quatro meses com Prem Baba, para se aprimorar cada vez mais.

Nestes mergulhos profundos de autoconhecimento tínhamos algumas músicas marcantes, tidas como hino dos encontros, usados para nos centrarmos - músicas devocionais (kirtan) e mantras do Krishna Das (nome dado na India que significa servo do amor) O. Um americano nascido como Jeffrey Kagel, se tornou conhecido por suas músicas.

Jeffrey viajou para a India na década de 60. Estudou antigas práticas de meditação e yoga -  Bhakti Yoga, que no hinduismo é o Yoga da devoção. Atualmente  como Krishna Das se dedica a ensinar e cantar. Lançou diversos CDs e livros e nos últimos tempos, viajou ao redor do mundo se apresentando e  ministrou diversos workshops.

Numa entrevista dada no programa Altas Horas em 2008, ele disse que foi para a India e ficou tão feliz que começou a cantar.


Talvez seja um dos nomes mais conhecidos do estilo música devocional indiana kirtan, uma espécie de rei "rock-pop" no entanto tem uma característica bem ocidental, introduzindo macordes típicos do Ocidente.
Interessante também ele começar lentamente como se fosse para meditação e subir o acorde, quase como catarse.

A minha preferida é esta, uma das mais marcantes da tragetória do curso:Hallelujah Chalisa




Pra quem quiser saber mais sobre ele, tem o site oficial, clica aqui. No You tube é só digitar o nome que aparecem centena de vídeos, e caso alguém que obviamente não entenda Hindi, tem um site com as traduções das músicas- clica aqui.
E vocês, conheciam Khrisna Das?! Gostam de mantras, Yoga?!




nas compras no site da Aromalife! Clique e acesse!

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | free samples without surveys