Páginas

11 de maio de 2020

Feliz dia das (não) mães

Eu passei esse dia lembrando de quanto sofria ao ver comerciais endeusando mães amorosas, super fofas e acolhedoras, passei anos evitando ver TV nessa época, porque causava sofrimento!

LEIA TAMBÉM:  Como identificar mãe narcisista

Relutei em escrever esse texto, mas quando publico algo na net sempre é pra ajudar a alguém que esteja passando pelo mesmo , porque não é fácil saber que a maior parte da sua jornada terapeutica tem a ver grande parte com o comportamento destrutivo e totalmente atipico de uma maternagem amorosa, que é o caso de uma mãe narcisista ou também tida como tóxica, tá aí o termo pra buscar no google sobre seus intermináveis conflitos com a genitora

Minha busca por terapias e autoconhecimento surgiu exatamente do caos emocional que é conviver com uma mãe tóxica.
Adicionar legenda


Nessas épocas é muito comum também ouvir de parentes que você TEM QUE  perdoar sua mãe, porque né, mãe é mãe e claro, tem a culpa... porque puxa! A harmonia da familia né...
Pois te digo que tenho lugar de fala o suficiente, ao menos uma década, entre terapeutizada e agora como estagiária de terapia.

 TEM QUE  não existe, ninguém tem que nada, se o parente em questão reluta em te ouvir e ser tendencioso -um bom relacionamento ouve os dois lados, caso contrário considere se está lidando com familiares tóxicos ou relacionamentos indignos, que sim podem ser mantidos com distância saudável, como coloca o Arly Cravo aqui

O perdão é um processo, um caminho a ser percorrido, mas o primeiro passo é reconhecer que o convívio com uma mãe tóxica ou narcisista contém traumas profundos que precisam ser tratados, é preciso validar a dor e expor todas as feridas pra gente poder lavar e desinfetar, depois ministra baldes de óleo essencial de lavanda ( eu sou aromaterapeuta tá rs...) pra ajudar a curar e cicatrizar.

+Leia: Óleos essenciais para tratar sintomas stress pós traumático por abuso narcisista perverso

Só depois que as feridas param de machucar , ainda que não tenham sido todas curadas, há espaço pra olhar para o perdão, e ainda assim, após anos de terapias, autoconhecimento, constelação familiar, enfim, aquilo que você se identifique mais pra tratar a ferida da mãe narcisista.

A minha jornada incluiu estas terapias e ainda ajuda medicamentosa, uma vez que também apresentei transtornos de ansiedade e depressão.
Quem me conheceu no ínicio do processo disse que estava pior do que um trapo de chão.




Até que depois de andar na montanha-russa junto com minha criança ferida e acalmá-la o suficiente, depois de  muitas constelações, coaching, óleos essenciais, o campo se abriu pra ver qual foi o emaranhado que produziu tanta dor durante várias gerações:

se você cura no antepassado original do problema, o sistema acaba se harmonizando quanto a isso,
e pela primeira vez na vida eu não quis mais marcar uma audiência na Mediação de conflitos, no Tribunal de Justiça - algo se apaziguou internamente.
(bem trabalhado pela minha mentora / mediadora de conflito / psicologa e facilitadora de constelação familiar Cassia Alves)

Ah Yumi, tu é exagerada, como se atreve colocar a própria mãe num lugar desses?!


Pasmem que minha própria mãe me negligenciou ajudas médicas graves aos 4 anos e ainda brigou e proibiu/ vetou quem se dispôs, deixando sequelas fisicas que dificilmente se revertem.

É o que uma mãe narcisista é capaz de fazer: deixar sequelas, tanto no físico quanto no emocional, caso você desconfie que  sua fobia social esteja ligada à agressão fisica / verbal e abuso psicológico, você pode checar os sintomas psicológicos do abuso narcisista aqui

Cheguei no fundo do poço...
Mas calma que não dá pra generalizar  e validar somente a opinião dela como verdade absoluta, pois muitas vezes essas mães também tem transtornos emocionais que interferem num julgamento imparcial (e não insana total, é diferente!) - por isso é preciso um trabalho de desidentificação de rótulos e julgamentos , e que dá é muito trabalho sim infelizmente.

Mas acredite, dá sim pra sair do fundo do poço, curar as feridas, sair do peso que foi ter sido filha de uma mãe narcisista e parar de reagir aos gatilhos que despertam dor.

Tenho certeza disso pois de tudo que me feriu, já passei a limpo uns 75-80% com muito esforço, e sorry... nem Constelação é varinha mágica, tem que se trabalhar, se observar e estudar sempre.

O Alex Possato é um constelador cujo trabalho eu confio muito e posta textos muito bons sobre os emaranhados sistêmicos com a mãe, até porque a dele próprio foi uma mãe dificil, um video bonito e bem esclarecedor



 Depois de tanto aprofundar nas dores, é possivel ver a mãe díficil, despir dela as capas e máscaras de abuso, crueldade, negligência e violência e ver que ela também nem sabia lidar com suas dores, que algumas vezes ela só replicou comportamentos vivenciados e que se você observar faz igual as vezes - como diz a Taryana Rocha, psicanalista também filha de mãe narcisista.



Só acho possível perdoar depois de ter descascado tuas cebolas, chorando camada por camada as vezes, pra conseguir ver as coisas com clareza longe dos ardores, porque acredite, chega uma hora que você tem mais espaço, mais vida dentro de si, tanto que escrevo esse texto de coração, fluiu muito bem, sem revisitar as dores - e se você nem sabia do que gosta como já me aconteceu, tenha certeza de que aos poucos você se conhece e vê teus dons e propósitos.

Enfim, eu ainda não cheguei no perdão, mas já cessei a guerra interna e já não me dói terrivelmente.
Eu sei que pode ter milhares de pessoas sofrendo com uma mãe abusiva, achando que o problema é ela e que a dor é tão insuportável e terrível a ponto de achar que ficará assim pra sempre, que é quebrado. Não!

É possível sim sair disso, ter plenitude, sucesso emocional - mas é preciso correr atrás, tem tanta gente doando trechos de terapia tão valiosos, é só procurar!

-------


nas compras no site da Aromalife! Clique e acesse!

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | free samples without surveys