Páginas

28 de outubro de 2014

Dica da leitora | Escolhendo cosméticos e makes orgânicas

A Andrea está firme e forte no lado verde da força, ela já deu seu depoimento sobre controle da rosácea aqui e hoje conta como faz suas escolhas na hora da compra, achei ótimo pra quem está começando:






Decidi partilhar minhas experiências iniciais com os cosméticos orgânicos.
Sou nova no ramo (comecei em março deste ano). Resolvi mudar para “o lado verde da força” por recomendações médicas. Meu objetivo, portanto, é simplesmente ter mais saúde, tanto na parte de alimentos quanto na de cosméticos em geral.

Comecei minhas pesquisas com a ajuda deste médico, mas logo percebi que o que ele me passou não era suficiente. A solução de simplesmente não pintar o cabelo e não usar maquilagem não era suficiente para mim!
Com a ajuda do santo google e alguma paciência, cheguei a blogs muito interessantes. Fui guardando e catalogando tudo no meu computador. Entretanto, ao perceber quanto veneno existia em vários cosméticos que eu tanto amava e usava há anos, bateu um desespero. Devo parar de usar tudo? Jogo tudo fora? Nunca mais vou poder usar batom?

Passei uma semana sem usar quase nada, fiquei meio deprê. As pessoas estranhavam me ver sem make... Mas não desisti e continuei pesquisando, até achar este grupo e me enturmar com vocês.
Agora, depois de seis meses de muita pesquisa online e algumas compras de novos cosméticos, acho que posso compartilhar algumas dicas para iniciantes. Vamos lá:

1) Menos é mais. Você não precisa de 15 produtos para o cabelo, 10 hidratantes para o corpo e todas as cores do arco-íris na sua caixa de make. Quanto menos coisas, menos substâncias tóxicas. Mesmo os cosméticos orgânicos podem conter substâncias agressivas. Além disto, tudo perde a validade, e não tem sentido colecionar 50 cores diferentes de blush, quando na verdade eles ficam bem parecidos no seu rosto e acabam perdendo a validade antes que você consiga gastar um décimo do conteúdo.

2) Não jogue o que você tem no lixo! Procure, inicialmente, se desfazer daquilo que saiu da validade. Depois, examine o que sobrou. Nem todo cosmético tradicional é nocivo. Pesquise no EWG para ver a classificação do seu produto. Descarte apenas aquilo que, na sua opinião, é nocivo demais para usar até o fim.

3) Mas, como assim, EWG? Sim, pessoal. Não tem como se garantir postando a composição do produto aqui, ou perguntando se a marca X ou Y é boa. Esta é uma decisão que terá que ser tomada por você, usuário. O link acima ajuda a analisar todo e qualquer produto que você tem em casa ou pretende comprar. Eu, atualmente, não compro nada sem classificar antes. Mesmo porque, ainda que a marca se intitule “orgânica”, tem um ou outro produto com tranqueira. Além disto, a análise da classificação é muito pessoal. Para mim, se o produto tem chance de ser cancerígeno, ainda que em grau baixo, está excluído. Qualquer influência hormonal, na minha opinião, também é motivo para riscar o produto.

4) Sim, você vai ter que ler coisas em inglês e comprar pela internet. Não tem jeito. A coisa no Brasil ainda está muito no início, e os produtos não serão encontrados nas farmácias. Além disto, principalmente na área de maquilagem, não tem quase nada aqui. Prepare, portanto, seu cartão de crédito internacional se quiser usar maquilagem orgânica de qualidade.

5) A boa notícia, entretanto, é que existe tudo - TUDO MESMO – no ramo de cosméticos orgânicos. Base, primer, batom, sombra, até mesmo lojas que imitam os batons da MAC (amo!) e o blush Orgasm da NARS (como viver sem?).

Pitaco da Yumi: Veja como fazer seu relatório no EWG aqui


nas compras no site da Aromalife! Clique e acesse!

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | free samples without surveys