Páginas

15 de maio de 2014

[Diário] O dia em que a mente travou

(Minimalismo - semana 4)
Que eu amo a idéia de morar numa shoebox, que para manutenção e limpeza é bem mais prático e com as proporções reduzidas, o risco de juntar tralha é bem menor...

Só que, eu vivi toda a vida numa casa sobrado, espaçosa pra caramba, e com 22 anos, o salão de festa que era sonho do meu falecido pai foi concluido (a obra ficou parada desde meus 9 anos por ele ter partido) - então além de ter uma área de serviço bem servida, o quartinho da empregada que virou o armario reserva, ainda tinha mais um salão que na minha época de artesã, virou meu home-office.

Conclui que quanto maior a casa mais tralha você pode ter, por ter espaço de sobra... também conclui que essa mania de guardar tralha que está no sangue da maioria dos descendentes de japoneses, é devido a fome, motivo principal da imigração - tem um medo da falta latente no sangue e aí acumula-se comida, roupa, utensilios de cozinha: 'vai que falta" ou "motainai jogar isso fora né'- são pensamentos recorrentes da minha avó por exemplo.
Motainai - é traduzido como desperdicio...

Então, tendo que comprar tudo projetando pra caber em 58m2, deu uma dor de cabeça tremenda... fiquei sonhando desde que casei que trocaria a mesa da sala de jantar, pois mesmo morando com minha mãe eu adorava cozinhar par os amigos, que teria essa mesa extensivel da Tok & Stok - uma ideia ótima para quando receber visitas,não aconteceu e ficou pra quando tivesse minha casa - daí ficamos monitorando via internet o preço dela que sempre baixa nas liquidações sazonais, calculamos a medida... tudo direitinho - teoricamente ela caberia...






Teoricamente, pois com o projeto da cozinha com um balcão americano (que vai virar armario de mantimento pois de espaço na cozinha só tem armario em cima e embaixo da pia - tá bom, eu pedi uma casa pequena - mas tão pequena assim foi demais rs..)... matou o espaço util para as cadeiras...

A unica solução foi dar a mesa pra minha mãe, a dela esta pavorosa, mas também foi um recorde de utilização: 40 anos!
Sempre foi o sonho dela trocar a mesa, mas nunca dava, tinha outras prioridades, então, ideia perfeita!

Tentei de um tudo pra ficar com a mesa: mandar para o marceneiro cortar 10 cm de cada ponta, não colocar o balcão na cozinha (agora que a parede veio abaixo? E onde colocaria a comida?), anunciar no Mercado Livre... a melhor solução foiu mesmo doar pra minha mãe, que merece.

Ah sim, fica aqui meu protesto: a metragem de casas e apartamentos tem diminuido cada vez mais e as lojas de móveis mostram ambientes lindamente decorados com mesas pra lá de 1,5m é bem dificil encontrar uma peça bonita nas metragens atuais que tenho...

A única loja que tem noção disso é a Etna, que nos seus projetos de decoração mostra uma planta, a metragem e o ambiente decorado...

O dia que a mente travou e o corpo também foi essa semana indo em lojas de móveis... sempre consigo ter ideias quando vou nessas mega stores de moveis - mas eu travei, no sofá e no rack... fiquei tanto tempo ruminando o que seria feito com a mesa, até surtar por ela tornar o local claustrofobico sem boa circulação eu sutei... provavelmente xingaria a pobre linda mesa, pois se com espaço já saio batendo nos móveis, imagina sem?!
Outro problema é que não quero comprar uma coisa provisória, quero comprar pra não ter que trocar depois e gerar mais impactos ambientais.

Tenho comprado muita coisa pela internet, que nessa grande SP, o fato de você não precisar se locomover já é uma baita vantagem- o rack seria outa compra mas olhei todos os bons sites de móveis que costumo comprar... lhufas!
Preciso de férias, nem resenha de cosmético que amo fazer não tenho conseguido, faz um mês que estamos nessa maratona...


Cupom válido durante todo ano de 2018- acesse!

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | free samples without surveys