Páginas

15 de maio de 2013

Parabenos - questão duvidosa!

Está rolando um post que vem criando confusão na cabeça das pessoas dizendo que parabenos podem vir de amoras ou seja: de origem natural, vide texto aqui.


molécula do butilparabeno

Sugere ainda que os parabenos são seguros para as pessoas e que a atividade estrogênica  do parabeno é fraca.
No entanto há estudos que encontraram  parabenos em tecido canceroso mamário vide aqui.
O EWG que é uma instituição séria na qual eu acredito, classificou diversas variedades de parabenos com notas entre laranja (risco moderado) e notas vermelhas (alto risco a saúde) - vide aqui
Saiba mais sobre o EWG aqui.
 
Ainda vindo do EWG há um confronto de idéias no post, tem-se como exemplo o butilparabeno:  sugere-se que ele tem baixa atividade estrogênica. No EWG consta nota 7 - vide aqui,
Preocupação alta: desregulação endócrina ;
Outras preocupações MODERADO: mudanças a nível bioquímico ou celular 

Sobre Butilparabeno : Butilparabeno está na família de conservantes. São utilizados pela indústria alimentar, farmacêutica, e as indústrias de produtos de cuidados pessoais. Parabenos  imitam o estrogênio e pode atuar como  potencial disruptores   hormonais   do sistema endócrino.
Função (s):preservativo


-----------------------------------------------
Leia mais sobre o assunto:
Parabenos: afinal o que são e o que fazem - Clube dos cabelos e cia

Particularmente não discuto a pesquisa correlacionando o câncer de mama,muito menos desacredito no que o EWG diz- uma vez que é uma instituição séria, que há anos pesquisam substâncias e seu grau de toxicidade.
Procurando na internet vemos que existe sim alguma correlação, mas sempre dizem que são necessários estudos mais profundos para comprovar a teoria.

E tenho minha própria tese: Qualquer substância química tem origem natural - eles pesquisam que a amora tem uma substância que age como preservativo...isolam e  depois criam uma maneira de sintetizar a substância industrialmente.
Como é caso do phenoxyethanol que tem seu ativo vindo da cebola

Assim como a aspirina, seu principio ativo vem do óleo de bétula doce - o salicilato de metila, deu origem ao ácido salicilico... é natural mas a aspirina não deixa de ser sintética.
Ou seja a inspiração para descobrir um  princípio ativo pode vir de fonte natural mas para chegar ao produto final, ou seja a substância - esta é  sintetizada industrialmente para ter um custo reduzido.

Somente o metilparabeno é encontrado em amoras ou em inglês  blueberry, mesmo assim - ainda entra na classificação de risco moderado, com nota 4: vide aqui.
Está claro que existe alguma ligação e é necessário estudos mais aprofundados, no entanto vi minha tia morrer de câncer de mama, como contei aqui.
Não é porque uma agência européia diz que em concentrações de 0,4 a 0,8%  são seguros,dá para sair usando - sem medir as consequências.
Voltando à ciência - da mesma forma que não temos provas sobre os parabenos serem causadores do câncer (o estudo diz que foram encontrados nos tumores, não que  causem propriamente), também não há provas de que sejam inócuos - muito pelo contrário, há diversas acusações.
 Enquanto houver dúvidas na segurança, acho prudente evitar.

Há um outro parenteses  nesta história: os parabenos não são permitidos em cosméticos orgânicos. As certificadoras colocam os parabenos na lista dos conservantes proibidos-  a francesa ECOCERT, a americana USDA e a brasileira IBD, justamente pelos riscos à saude.

Dá pra viver muito bem sem os parabenos nos cosméticos, todos resenhados neste blog são incrivelmente eficazes e usam conservantes vindos de fontes naturais e a imensa maioria não estragam tão rápido (apenas um produto teve prazo de validade de 3 meses, o restante até 2 anos) - portanto alternativas aos parabenos existem.
Os parabenos são amplamente utilizados pelo seu custo baixissimo - o problema é que somente um parabeno não é eficaz na conservação, são utilizados vários e juntamente com outras químicas, o que coloca na berlinda um hidratante de R$ 5 que utiliza óleo mineral e 5 tipos de parabenos

Então fica a pergunta: acreditar em quem comercializa a substância e tem interesse financeiro  ou acreditar numa instituição séria - sem fins lucrativos, que há anos vem desvendando e colocando em xeque mate as substâncias potencialmente perigosas ?!
Fica para reflexão ...

Obs: Post escrito juntamente com meu marido, farmacêutico atuante na área industrial.

Você pode querer ler:
Conservante naturais usados em cosméticos
Que componentes da fórmula devem ser evitados
Um caso de excsso de cosméticos X riscos a saúde


nas compras no site da Aromalife! Clique e acesse!

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | free samples without surveys