Páginas

25 de maio de 2013

O desafio de adotar um cão adulto e sua recompensa maravilhosa

“Até que tenhas amado um animal, uma parte de tua alma estará adormecida” (Anatole France).
(este texto foi originalmente publicado no Yummy Tips, meu outro blog - clica aqui)


Eu tinha contado aqui da adoção da Mila, minha beagle gorda que é exatamente o estereótipo do Garfield na versão canina rs...
Mas estes dias me veio muito forte a lembrança da minha primeira beagle adotada, a Lua.
Ela foi encontrada numa comunidade de adoção de cães no Orkut. Estava anunciada ela e a irmã dela...

Estava em um canil em Itu onde nasceu e foi devolvida pela dona que alegou "estar se mudando" e não ter espaço para duas beagles na outra casa - bem, hoje a gente acha que foi a maior mentira, a mulher queria se livrar mesmo dos cães.

Resolvemos escolher a Lua... mas acho que ela nos escolheu, pela lição de vida que viria a dar...
A Lua estava no canil mas não no meio dos cães bonitinhos pra comprar, estava no canto dos cães doentes, estropiados... levamos a cocker pra se conhecerem já que teoricamente deviam ser amigas... mas não aconteceu...
Intrigante é que a irmã estava junto com os cães para procriação. Acho que a Lua devia estar doente e não contaram por medo da gente recusar...
No trajeto de Itu até Sampa, fazia um calor insuportável e eu nunca vi cachorro mais fedido na minha vida, sabe de não aguentar mesmo?! Parecia que nunca tomou banho desde que chegou ao canil...
A primeira coisa que fizemos lógico, foi dar um banho... mas como foi difícil a adaptação aqui.

Ela era arredia, temerosa. A gente não podia levantar um dedo que ela se tremia toda - sinal que deve ter apanhado bastante das pessoas e até de outros cães, porque ela não queria saber da cocker, que queria brincar... as vezes até brigavam.

Também era muito difícil fazer um carinho, ela não permitia que ninguém chegasse perto...
Ela só se acostumou um pouco depois de uns três meses. Mas daí ela foi ficando doente, muito doente, não comia e emagreceu muito.... levamos no veterinário que constatou outra mentira contada, ela já tinha uns 8, 9 anos de idade pela arcada dentária, muito diferente dos 6 anos que contaram pra gente...

Claro que no consciente a gente queria mais era xingar a dona do canil que anunciou tantas mentiras pra gente - mas jamais devolveríamos a Lua, que já sofreu tanto...
Então tratamos a bichinha que estava com carrapatose... provavelmente deve ter pego pelo lugar imundo que ficou -começou a dar cegueira nela, coitada.
Esse vídeo foi gravado logo após a "alta" do veterinário quando ela se curou:


O que esse olhar te diz?! Pra gente expressa pura gratidão, o reconhecimento que foi cuidada, amada... de ver esse rabinho balançando perto de quando ela chegou que a gente nem podia encostar nela... é muito gratificante ver um bichinho que sofreu tanto expressar no olhar tanto carinho e amor...

Bom... ela brigava com a cocker as vezes - mas totalmente compreensivel pelo que a gente imagina que ela passou no canil onde ficou 4 meses....
Mas era uma delícia ela vindo abanando o rabinho pra gente depois de tudo isso. Reenergizava sabe?!
Era amor incondicional, claro que a Yuka também... mas é muito diferente da Lua, já que a Yuka está  desde filhote.

E assim ficamos felizes por mais uns 7 meses - 3 meses do período de adaptação e mais os dois meses mais sofridos da vida dela... e claro que sofremos juntos. No total ela ficou cerca de um ano com a gente.
Primeiro ela ficou totalmente cega de um olho, começou a bater na parede e nas coisas e doía o coração ver ela assim... mas já estava vovó né... doía também querer fazer um carinho e ela se retraía com medo que fosse um estranho porque já não estava enxergando a gente direito... tinha que primeiro dar a mão pra ela cheirar pra não assustar a bichinha...

Depois começou a não ouvir direito, e olha que a audição de beagles costumam ser mega aguçada. Tinha que chamar três vezes.... então ela começou a não comer de novo... emagrecendo, emagrecendo...  levamos no veterinário e foi constatado falência renal ... Tivemos que dar soro na veia ... ela mal saía da casinha...

Era provável que começou a dar falência múltipla dos órgãos... e ela foi ficando cada vez mais caquética e fraca... no dia em que estava marcado o retorno do veterinário... meu marido voltou e chamou ela, uma, duas, três vezes... então desceu até o meio da escada e a chamou...

Aí ela veio... bem cambalente mas veio, só teve forças pra subir até o meio da escada... depois disso marido teve que carregar no colo. Da porta do quintal até chegar na porta da sala...
Ela morreu no colo dele... acho que foi uma das cenas mais tristes que já presenciei.

Mas até hoje a gente pensa que ela esperou meu marido chegar pra se despedir... e por tudo que ela passou... eu penso que pelo menos o último ano de vida dela foi feliz.
Foi muito gratificante mesmo poder ter feito algo de bom para um ser inocente, com uma história sofrida dessas, ver a carinha dela feliz no vídeo... e eu acho que foi isso que ela levou com ela, não todo o sofrimento, o abandono... mas o amor que a gente deu... e também acho que foi isso que fez ela ter forças pra esperar meu marido chegar pra se despedir...

Pra gente hoje ficou a moral da história de superação... de esquecer o passado, abandonar mesmo e não lembrar dele, viver o dia de hoje feliz, com um sorriso no olhar agradecido.
O amor que essa bichinha deu em troca foi tão grande que até hoje quando estou com dificuldades e tenho vontade de fazer mimimi, eu vejo esse vídeo e por incrível que pareça me dá uma força...
mesmo que chore, como estou fazendo agora...

E esse é um dos muitos motivos por ser contra teste de cosméticos em animais - beagle é a raça mais usada pra isso... por ser muito dócil...
Nem vou falar dessa coisa irresponsável de abandonar um cão... a Lua teve sorte, mesmo tendo sofrido no canil, tinha comida e um teto... mas quantos não tiveram a mesma sorte?!

Mas todos os cães sem excessão... merecem o céu, por expressarem tanto amor, lealdade e gratidão.
E não só com nós humanos...  quer maior lição de companheirismo e amor ao próximo do que essa?
Leia a história dessas duas amigas aqui.

E sobre raças violentas, vou te dizer uma verdade, quem faz o cão violento é o dono, que instiga a brigar, a atacar, já vi muito no Animal Planet Pits bulls de colo, meu sogro tem um rotweiller que é o mais bobão que já vi na minha vida.
Cães são mero reflexo do dono, se o dono pensa que é um cachorro perigoso, ele será - fazem aquilo que está no coração do homem... portanto eles também merecem o céu .



Fica pra reflexão, toda essa história e essa foto...
PS- e acho que nós humanos temos muito a aprender com estes seres tão especiais...


 


nas compras no site da Aromalife! Clique e acesse!

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | free samples without surveys